Capítulo 05 – O Ladrão de Raios

Escrito por: | em 29/12/2009 | Adicionar Comentário |

O PODCAST:

Capítulo 05 - O Ladrão de Raios
Play
Play

Baixe a versão zipada: Download.

Este podcast contém spoilers!

O LIVRO:

Título: Percy Jackson e os Olimpianos: O Ladrão de Raios

Autor: Rick Riordan

“O ladrão de Raios” conta a história de Percy Jackson, um garoto de 12 anos que descobre que os chamados “mitos gregos” estão muito vivos na sociedade ocidental e que ele mesmo é nada mais nada menos que um meio deus e que precisa realizar uma missão para evitar a terceira guerra mundial.

O livro é a primeira parte da história de uma grande profecia, que se desenvolve nos 4 volumes seguintes e nos quais conhecemos lugares, criaturas e personagens mitológicos que ganham uma roupagem nova, adaptando-se às mudanças da sociedade, mas sem perder as suas características lendárias.

Edições utilizadas:

– Riordan, Rick. O Ladrão de Raios. Tradução: Gouveia, Ricardo. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2008. (Percy Jackson e os Olimpianos: v.1).

Capa - O Ladrão de Raios

A EQUIPE:

Comentários por: Danielle Toste, Eric Torres, Juliana Morais, Gustavo Domingues.

Edição por: Gustavo Domingues

Mensagem em Audio por: Hatake Diogo do Argcast.

A AVALIAÇÃO:

4 grifos

AVALIAÇÃO Dani Eric Gustavo Juliana Média
Trama 4,00 4,00 4,00 4,00 4,00
Personagens 4,00 4,00 3,00 3,00 3,50
Escrita 5,00 5,00 4,00 4,00 4,50
Leitura 5,00 5,00 5,00 5,00 5,00
Média 4,50 4,50 4,00 4,00 4,00

AS REFERÊNCIAS:

Trilha Sonora:

Butterfly Tea: The Source

Butterfly Tea: Magical and Fantasy Music

Butterfly Tea: New Rise of Legend

As musicas utilizadas foram disponibilizadas gratuitamente no jamendo.com sob uma licença creative commons

Videos Mencionados:

Fúria de Titãns – Trailer:

O Ladrão de Raios – Trailer:

Livros Trocados:

Gustavo > Dani:A Luz Fantástica” de Terry Pratchett

Dani > Eric:O Nome do Vento” de Patrick Rothfuss e “Roverandom” de J.R.R.Tolkien

Eric > Juliana:Os Filhos de Húrin” de J.R.R. Tolkien

Juliana > Gustavo:A Garota da Terra do Vento (Cronicas do Mundo Emerso. V01)”  de Licia Troisi

PRÓXIMO EPISÓDIO:

O Capítulo 06 será sobre o livro: “A Revolução dos Bichos” de George Orwell.

Comentários, dúvidas, sugestões: contato [arroba] grifonosso.com



Categorias: Podcast
Tags: , , , , , ,

Dani Toste

Advogada, jogadora de RPG, viciada em internet, amante de de livros, séries, música e filmes. Acha que o Lewis Carrol é um gênio, é obcecada pelos livros da Alice que considera os melhores do mundo.

54 Comentários sobre Capítulo 05 – O Ladrão de Raios

  1. Pingback: Tweets that mention Grifo Nosso » Capítulo 05 – O Ladrão de Raios -- Topsy.com

  2. Andre V.H

    Ae pessoas! Novamente o podcast ficou muito bom, parabéns!

    Durante o programa me pareceu que o livro era fraco (Olimpo em NY ngm merece!) mas com os elogios, principalmente à leitura, deu vontade de dar uma chance e conferir o livro.

    Sobre o próximo livro nem tenho o que dizer. Só li 2 livros do Orwell e já virei fã dele. Ninguém vai se arrepender de ler A Revolução dos Bichos. O livro parece bobo no começo mas depois ele te dá um tapa na cara e até o fim da sua vida vc vai relembrar alguns detalhes desta história.

    O Gustavo citou o livro A Estrada da Noite do Joe Hill. Seria um bom livro pra ser comentado, eu tenho ele aqui e posso até emprestar se precisarem. O Joe tem um certo talento mas ainda tem que aprender muito pra chegar no nível do pai.

    • Dani Toste

      André, acho que vale a pena dar uma chance sim, principalmente se vc gosta de livros juvenis de aventura.

      Sobre o próximo livro, vou guardar os comentários para o podcast, mas dizer que eu li o livro inteiro num dia só já adianta muita coisa.

      Abs.

  3. Vinícius Domingues

    Olá meus caros!

    Meus parabéns pelos subsequentes acertos em cada capítulo. Garanto a todos que as notas dadas quanto a leitura não mentem. Afinal, poucas vezes lí livros que mesmo interrompendo minha leitura por instantes, continuei literalmente preso ao mundo em questão. A mitologia grega é uma ótima fonte pouco explorada ultimamente pelos “blockbusers” da literatura, fico feliz ao ver o retorno desta rica fonte.

    Contudo…

    Alguns pequenos detalhes me deixam no mínimo… hummm… perplexo.
    A tentativa de deixar o livro mais juvenil em alguns momentos (notem, em ALGUNS momentos) se mostra um pouco irrelevante. (Ou seja, me recusei imaginar babadores de DONUTS nas cabeças da hidra no segundo livro). Mas fora isso recomendo firmemente que todos leiam, e então possam reviver um pouco da magia que forjou (talvez literalmente) a cultura ocidental.

    Abraços a todos!

    PS: Eu assisti o trailer de fúria de titãns “gritando”!

  4. Issue

    Vou ouvir dps volto pra comentar bjos =]
    Feliz ano novo gente ^^

  5. C.Y.B.O.R.G

    O podcast ficou bem legal, gostei mais de ouvir do que ler o livro.

    Tentei ler, a cada página que avançava ficava cada vez mais dificil continuar… Parei.

    Não que o livro seja tão ruim, só não consigui mesmo, queria muito ler inteiro pra poder acompanhar o GrifoCast, mas, não deu mesmo.

    Vou deixar pra saber mais sobre o livro na adaptação pro cinema. Ouvindo o podcast pareceu que o livro tem uma narrativa bem legal pra poder passar nas telonas.

    Gostei bastante da troca de livro no final. A maioria dos livros são bons, vão se divertir bastante.

    Feliz Ano Novo á todos!!!! valewww

  6. O Goblin

    A galera daqui é muito boazinha mesmo, olha somente comentarios legais. Mas nao com o Goblin, estou aqui para causar o caos e a desarmonia. (risos maleficos).

    Como assim a Dani não distribuiu os livros para os leitores? Isso é realmente uma afronta visto que claramente eu devia ganha-lo. hahahaha. Depois ela ainda se diz “boazinha” ela é muito “cruel” isso sim, por favor todos numa só voz.

    “O GOBLIN QUER LIVROS, O GOBLIN QUER LIVROS”

    E para completar fico feliz que gostaram do livro que escolhi com tanto carinho para voces. Principalmente os ganhadores do Crepusculo, que pelo que vi já estao até mesmo combinar as trocas e leituras. Só por favor nao se empolguem demais e Gustavo, nada de cosplay de vampiro porpurina em, por favor.

    Bem agora sobre este podcast em especial, eu tive uma opinião muito parecida com a do C.Y.B.O.R.G, comecei a ler e logo fiquei entediado e resolvi parar, tinha algumas coisas que nao me agradavam mesmo. Mas depois resolvi voltar e ler até o fim, somente para poder encontrar falhas no podcast e assim criticar até o fim.

    Infelizmente mandaram muito bem e não consegui argumentos para dar inicio a uma critica sem fim, tirando, o mais legal desse podcast foi ver a galera saindo do assunto e a Dani que nem louca tentando fazer a galera voltar ao tema, façam mais isso foi hilario.

    Duas curiosidades sobre o filme é ver o Percy com um Iphone e a Clarice que provavelmente nao vá participar tambem. Bem é isso comentario gigante e até o proximo.

  7. Anny(@Annyllinha)

    Adoro ouvir vocês lendo…
    Os comentários e risadas fazem parte.
    E quer saber, eles fazem com que a narrativa fique delicosas de ouvir…
    Porque vocês criticam e nada como uma crítica para saber o outro lado da história.
    Parabéns!
    Continuem. Faço inicação sempre de vocês.
    Feliz Ano Novo.
    Até mais!
    Anny.

  8. Alexis Gonzalez

    Bom podcast… Minha avaliação de “O Ladrão de Raios”:

    Trama – 2,00
    Personagens – 3,00
    Escrita – 3,50
    Leitura – 3,50

    Agora, comentando sobre o livro que a Dani ganhou: “A Luz Fantástica” de Terry Pratchett. Os livros da série Discworld são sátiras das historias de fantasia, a série Discworld já conta com mais de 30 livros (12 já foram traduzidos para português pela editora Conrad).

    Você pode ler qualquer livro da série pois as historias começam e terminam no mesmo livros, exceto: “A Luz Fantástica”, que é a continuação do primeiro livro: “A Cor da Magia”. Tirando esses dois, os demais livros podem ser lidos independentes uns dos outros.

    Existem três formas de leitura:

    Por ordem de lançamento: Tal como o nome sugere.

    Por saga: A série é caracterizada por possuir sagas, por exemplo, você pode seguir a seqüência dos dois primeiros livros (A cor da Magia e a Luz Fantástica), que traz o personagem central: Rincewind. Ou você pode seguir a saga das Bruxas, onde a personagem central é a Vovó Cera do Tempo; ou a saga do Morte; ou a Saga dos Deuses; ou a Saga da Cidade; etc…

    Por fim, você pode seguir a leitura por ordem de acontecimento: Para isso você irá usar um mapa (aprovado pelo próprio Terry Pratchett). Segue o endereço do mapa:

    http://www.lspace.org/books/reading-order-guides/the-discworld-reading-order-guide-1-5.jpg

    Abraços,

    • Dani Toste

      Goblin, como o Hatake Diogo fez a quinta sugestão, após a gravação do cast mas antes da publicação, TALVEZ eu dê um livro para a minha resposta favorita (TALVEZ). E eu sou a bondade encarnada na Terra ò.ó mas tem que fazer por merecer.

      Alexis, Você só me provou mais uma vez que o Gustavo até quando é meu amigo me zoa! Ele me deu “A Luz Fantástica” mas além de começar do meio o livro anterior “A Cor da Magia” está em falta!!!!! Obrigada pelas referencias sobre a ordem de leitura e pelo mapa, só de olhar para ele da para ver que é bem util!

  9. Alexis Gonzalez
  10. Thiago Cabello

    Muito bom o episódio.

    Não posso falar o mesmo do livro… ;) Estava lendo, mas abandonei. Não gostei muito o jeito q a mitologia foi tratada. Mas depois de escutar o pod, vou tentar mais uma vez acabar a leitura.

    Abção,
    Continuem com o ótimo trabalho.

    • Dani Toste

      Estou chocada que tanta gente esteja falando que parou o livro no meio O.O eu li loucamente do começo ao fim.

      Ah, uma coisa que eu esqueci de falar, o Alexis roubou, porque não pode pontuar com frações =oP Digo roubou porque as vezes é dificil mesmo decidir entre os números inteiros, mas eu considero que os números pares são os intermediarios. Algo assim:

      5 – Bom
      4 – Intermediario entre mediano e bom
      3 – Mediano
      2 – Intermediario entre ruim e mediano
      1 – Ruim
      0 – “Luciola”

      Talvez os outros membros do podcast usem outro critério, mas eu tento ter um padrãozinho pessoal para não jogar as notas aleatoriamente e com esse eu acho que os números fracionados não me fazem falta.

  11. Vinícius Domingues

    Dani

    Eu realmente me assustei com os comentários ruins… Mas eu entendo um pouco o ponto de vista deles. Assim como eu me cansei de Harry Potter, entendo que as vezes a narrativa simplesmente não é atrativa a todos (claro que esse não foi o meu caso hehehe).

    A todos

    Campanha para convencer o Eric a ler Crepúsculo (sabe… nessa época do ano, quando todos são bons, alguém tem que ser sacana hahaha)

    Gustavo

    Ouvindo os comentários do Cast, não seria até mais útil fazer um livro sobre o tal careca… Aquele, o Kratos!haha

    Feliz ano novo a todos!

  12. Hatake Diogo

    Fala pessoal, td bem?
    Passando pra comentar sobre episódio….
    Li esse primeiro em 4 dias (tive de ler em pdf pois estava estogado em várias livrarias em que procurei), mas o 2 e o 3 consegui ler em 1 dia, freneticamente, qse em fúria bárbara (berserker mode).

    Sobre as comparações com HP: podem acabar influenciando quem quer que tenha ouvido o programa e não gostado do mesmo….

    Usando o sistema de vcs de classificação:
    Trama – 3,0
    Personagens – 4,0
    Escrita – 5,0
    Leitura – 5,0

    Sobre as postagens com as sugestões, foi mal por ter demorado pra falar, mas não consegui colocar o feed de vcs no agregador, e tb por alguns problemas da facul, então demorei a colocar meus podcasts em dia…

    Os livros trocados: dentre esses me interessei muito pelos de Tolkien, já que sou mais um ”habitante da 4ª Era do Mundo e 2ª Era dos Filhos de Ilúvatar (Homens).

    Abraço a todos e bom final de ano.

  13. Dani Toste

    Diogo,

    Sobre as comparações com o HP: honestamente eu nem tinha pensado nisso até a Ju comentar quando ela começou a ler o primeiro livro.

    No fim eu acho que apesar de existirem sim alguns elementos semelhantes a narrativa e a trama são bastante diferentes.

    Ah, e novamente obrigada pela mensagem em audio.

    Abs.

  14. Hatake Diogo

    @Srta Toste:

    Eu que agradeço pela atenção dispensada ^^

    Em termos de enredo pode se considerar igual a muitos, não HP já que é um grupo de jovens atrás de um objetivo e que encontram obstáculos no meio.

    O que diferencia, ao meu ver, é o modo como as personalidades dos personagens são abordadas, ou mesmo até mostrar que heróis podem agir de modo egoísta, ou mesmo como o Percy é influenciado pelas pessoas ao seu redor.

    Abraço

  15. Alexis Gonzalez

    Já que as notas devem por obrigação serem números inteiros, segue a correção:

    Trama – 2,00
    Personagens – 3,00
    Escrita – 3,00
    Leitura – 3,00

  16. Issue

    Não achei tão ruim como as pessoas dizem e tenho certeza que nao vou parar no meio do livro. O filme é que tá me dando um pouco de medo… será que vai ficar ruim?
    E olha que nem li o livro… só que sempre que sai uma adaptação eu fico com o pé atrás… ja me decepcionei muito.
    Quanto ao podcast eu adorei… ouvi duas vezes e quando ouvi hj a bateria acabou no meio :/ hsuahsuahsuahs
    A Dani pedindo pra focarem no livro foi engraçadissimo hsauhsuash. Parabens gente! Vou providenciar o livro pra essa semana já pra poder voltar e dar nota hsuhas
    Bjão!
    Ps. Eu pulei de alegria quando falaram meu nome
    ps2. se um dia voltarem a tocar no meu nome de novo poderiam dizer ele certinho? shaushuahsuhsa (IssÚe), mas tah valendo… ^^ meu noivo que tinha percebido que tava errado, eu tava gritando e pulando de alegria e nem reparei hsuhaushaus
    ps. fiquei sabendo do proximo tema e não sei quase nada sobre, preciso correr atras disso antes de ouvir ou devo esperar o podcast? :/

    Bjão!!

    • Dani Toste

      Issue,

      O próximo livro é bem curto e bem divertido, particularmente acho que vale a pena ser lido.

      Como eu não gosto de spoilers preferiria sempre ler antes ehehehe, mas dai já é uma escolha pessoal, o Gustavo, por exemplo, não se importa com spoilers.

      Abraços

  17. issue

    aham… tendi… ok então, como eu tbm nao ligo mto pra spoilers, vou deixar pra ouvir… porque ja programei meus livros e se eu ficar metendo livro no meio da lista nunca vou me organizar shuahsu

  18. Ben Hur Nascimento

    Devo dizer que ainda acho estranho ver histórias antigas com uma roupagem nova. Principalmente nos EUA, pois não gosto daquele país. Mas ele faz parte daqueles livros que você começa a ler e só fica queto depois que lê. É uma história legal.
    Infelizmente notei algumas coisas que se parecem com Harry Potter.
    Enfim, eu acho que vocês poderiam colocar a música do podcast mais baixa, tem hora que a gente perde a atenção da fala de vocês pelo som da música.
    Peguem a Arte da Fuga de J.S. Bach música boa, que não tira a atenção de um assunto maior.
    o/

  19. CGN

    Mais um ótimo cast, acho super interessante o fato de vocês expandirem o limite de tempo do podcast de acordo com a necessidade do livro, diferente de muitos podcasts que tem que se estringir á um limite de tempo, se seguir nessa ordem, o próximo livro vai durar duas horas de discussão, rsrs.

    Feliz ano novo para todos do Grifo Nosso e Leitores.
    Abraços.

  20. Cutia

    Não li o livro porque o achei como como HP, não que eu não goste, mas não curto muito os “plagios”… E passei a não gostra de HP, porque ele é um plagio, do Neil Gaiman, Livro da Magia… Mas não tira o merito, de ambos… rs
    Mas vou ler…
    E curti deser mencionado como “o cara que endicou o livro do Editor da Playboy” hauhauhauh

  21. O Goblin

    Como bom Goblin que sou nao poderia deixar passar esse comentario que a Cutia fez… Sobre plagio e tals… Sobre Ladrão de Raios e HP nem vou comentar, porque não sei se foi proposital ou sei lá o que…

    Sobre HP e Livros da Magia, só diz que é plagio quem NUNCA leu Livros da Magia, olha sou apaixonado por esses quadrinhos e já li todos inclusive os em ingles, tenho na minha estante em mais alta estima, inclusive todas que foram lançadas pela Abril (mesmo ja tendo a versão em ingles) e bem comparar Livros da Magia com HP é simplesmente menosprezar os Livros da Magia.

    Vamos lá a unica semelhança que tem é o fato de em ambos serem garotinhos que descobrem a magia, em ambos serem ingleses e terem uma coruja… MAS SÓ isso, Timothy é um personagem muito bem construido, que vai evoluindo conforme a HQ, mas para frente faz pontas em HQs como Hellblazer, mostrando que mesmo um garoto de 14 a 16 anos pode sim ter maturidade quando já viu mais merda na vida que qualquer um outro.

    hehe Agora que li meu comentario, vi que to parecendo um pouco rude, mas nao é a intençao, apenas quero deixar claro que quem um dia levantou essa historia de plagio nao sabia o que estava falando. E tem mais Timothy não vai para uma escolhinha de bruxos adolescentes, ele aprende com os 4 (Mister Io, Vingador Fantasma, Doutor Oculto e o fodastico John Constantine [não o do cinema, o das HQ’s Hellblazer]), nao chama ninguem por ai de trouxa, MUITO melhor que isso, ele acha a Zatanna sexy e tem pensamentos pervertidos.

    Ufa vou parar por aqui para nao dar um milhao de motivos, mas por favor se voce deixou de gostar de HP porque achou que era um plagio, simplesmente volte a gostar de HP e AME os Livros da Magia. Inclusive o proprio Neil disse que não foi o primeiro e nem será o ultimo a escrever sobre crianças e magia.

    • Dani Toste

      Bom, vou aproveitar um pouco do embalo do Goblin para falar sobre plagios literários. Inicialmente ressalto: Não li o livros da magia, até peguei emprestado com um colega mas ainda não tive o impulso de ler. Mas não acho que isso faça muita diferença no meu comentário.

      Como eu disse no podcast, não acho que o Percy Jackson e os Olimpianos seja uma copia do Harry Potter porque simplesmente não acho que o fato de algumas histórias terem elementos comuns as transforme em plágio. Alias, se fosse assim todos os contos de fadas seriam plágios um do outro, porque existem diversos elementos comuns entre eles, embora tenham surgidos em locais distintos que nunca tiveram conexão uns com os outros.

      Mas não apenas pelo fato de os elementos similares de varias histórias poderem decorrerem de uma série de coisas: estruturas de narrativa, subconsciente coletivo, arquetipos, etc etc etc, mas temos que lembrar que a escrita também é uma forma de arte e que a arte se inspira em tudo e em qualquer coisa, inclusive em obras já existentes e é bem provavel que os autores que nós idolatramos também tenham buscado inspiração em outras obras ainda mais antigas.

      Só que acho que nós temos que nos desprender dos nossos preconceitos e procurar nas obras novas o que elas tem de novo e de único, e não as formulas que repetem (porque acredite, de uma forma ou de outra todas elas repetem alguma coisa). Se nós formos achar que todo livro épico de fantasia é uma cópia do Senhor dos Anéis, provavelmente vamos perder a oportunidade de ler muitos ótimos livros e não vejo o que teriamos a ganhar com isso.

  22. Marcelo chobas

    Esse cast foi bom,,,,mas poderia ser melhor ,,,,o gustavo muda o foco da conversa toda hora ,,,,gustavo vc vai ganhar o premio conrad de piadas sem graça (piada interna do podcast papo de gordo ) eu sei que temos que ler o livro ,,,,para nos abientar ,,,,mas vcs nao falaram ,,,,,o que a policia fez com o perse quando ele voltou para a casa ,,,,,,,,,,,valeu e abraços ,,,,…

    Ps:tambem quero um luvro kkkkkkkkk

    • Gustavo Domingues

      E aí Marcelo, então… se não houvessem piadas e comentários o podcast se tornaria um Audiobook, em que só narramos as histórias do livro disparando spoilers a torto e a direito.
      Achei só que nossos podcasts estão meio longos, se extendendo em trechos triviais do livro só para falarmos que dissemos tudo que podia ser dito sobre a história, e como a proposta é uma releitura comentada não cabe uma narrativa completa.
      Até porque este trecho que você citou dos policiais acontece o seguinte: Quando Percy não é mais considerado perigoso ao Olimpo a Névoa é manipulada para que ele deixe de ser procurado pela polícia, só para que ele seja procurado novamente no livro seguinte. Resumindo: este trecho do livro é completamente sem objetivo, pois ao fim (e durante o livro) não dá em nada.
      Quanto às minha piadas…paciência, não consigo agradar à todos, mas recebo qualquer troféu com orgulho(receberia até um prestigiado framboesa de ouro).
      Até e abraços
      (mande um comentário em audio se você puder, aliás, todos vocês)

  23. Cutia

    Sobre o plagio, não fui a fundo no assunto e tal, porque é polemico…
    Não me referi a história, mas olha só, o Tim E o HP?! A personagem… sei lá, e plagio é uma palavra muito forte, não acho outra, mas penso que ela bebeu muito na fonte do Gaimam, muito mesmo. “Beber muito na fonte” para mi é igual a “plagio”, sim, todo o desenvolver são diferentes e tal, mas vem do estilo de cada autor. Por exemplo, Gaimam adora mostra um mundo mágico, no nosso próprio mundo, e como foi dito do Ladrão de Raios, o Hp se passa quase que num mundo exclusivo.
    Eu tinha um quase “fanatismo” por HP, só que não consigo olhar a personagem (depois que conheci o Tim) e não lembrar na outra, é tipo um quase Tim (repito que falo do HP e não da História).
    Um exemplo bom de personagem que remete ao outro, é D’Artanha e o D. Quixote, há até o trecho em que são comparados nos três mosqueteiros, e se analisados poderiam se passar pela mesma, mas não! São duas personagens…
    Nem me referi sobre o processo que rolou entre os autores, por que foi dito que não é plagio. Mas quero ver quem negue que o HP não é inspirado, e muito, no Tim Haunter. Pode nem ter sido a intenção, talvez ela nem conhecesse o Tim… ou não, vai saber…

    E não deixei de gostar de HP, mas não gosto como antes…. (Mostrando a tatto do Tim no braço, rsrs –mentira-).

  24. Marcelo chobas

    Concordo contigo Gustavo que sem algumas piadas ,,,,o cast fica travado ,,,,,mas piadas toda hora quebra um pouco o cast tambem,,,,e valeu por ter explicado sobre os policiais ,,,,,,continuem fazendo esse bom trabalho de nos trazer ,,,,,belos bate papos sobre livros ….e sobre a mensagem ,,,,,de voz sou muito timido para isso kkkkkkkk inte e abraços a todos .

  25. rodolfo

    Ótimo podcast, li o primeiro livro e gostei porém o que me incomodou foi a estória sendo revelada durante o cast. Esse é o primeiro episódio que ouço e fiquei realmente desconfortável ouvindo, não pelo conteúdo em si mas pelas oportunidades perdidas de contextualizar o livro, por exemplo, paralelos com a mitologia e a forma que o autor mesclou com a trama, a pesquisa do autor teve algum furo? comentários sobre as escolhas equivocadas (muitas) e a construção dos personagens (Deuses). Espero que as criticas apenas ajudem de alguma forma, não fiquem chateados. No aguardo do próximo cast.

    • Dani Toste

      Rodolfo,

      Nós ficamos felizes com as criticas, principalmente as construtivas como a sua, não se incomode.

      Sobre os spoilers, bom, acho que talvez tenha faltado um aviso, mas todos os episodios são assim, com spoilers.

      Sobre os paralelos não sei se teria muito que falar além do que dissemos mesmo, as histórias que o autor usou: as fúrias, o Procrusto o Caronte, a forma como o inferno é dividido, os personagens, foi tudo muito fiel (pelo menos ao que nós conhecemos, já que nós mesmos não somos particularmente conhecedores de mitologia grega).

      Abraços

  26. henrique

    Ouvi todo o podcast e achei muito divertido, mas desculpem, não me convenceram a ler.

    Na verdade, pra mim a forçada de barra foi os deuses gregos viverem nos Estados Unidos. Não, tudo bem se o lugar nem influenciasse a trama, maaaas, pelo que disseram, o livro faz basicamente um tour pelo país, e torço completamente o nariz pra isso.
    E colocar deus vestindo terno e sendo moderninho também não é pra mim. Assim como vampirinhos indo pra ensino médio conhecer menininhas.

    Mas essa coisa dos EUA eu senti a mesma coisa quando no Supernatural (então SPOILER) inventaram de falar de anjos e arcanjos e toda a mitologia cristã, inclusive Deus, e os personagens todos correndo lá dentro daquele país. Eu adorava as primeiras temporadas quando o assunto eram com lendas americanas mesmo, e que era perfeitamente plausível.

    Nossa, me bateu uma revoltinha aqui agora. Tantos lugares no mundo pra ambientarem histórias, e colocam sempre nos EUA. E mesmo lá, ainda vão para os mesmos cartões postais. Las Vegas?! Sério MESMO?

  27. O Goblin

    @Marcelo, cara olha realmente não entendo porque vocês acham as piadas e brincadeiras fora de hora. Eu devo dizer que só escuto por causa delas.

    Deixe eu tentar expor meu ponto de vista e veja se concorda.1º Considera-se que já leu o livro 2º Considera-se que estamos aqui para discutir e pensar sobre o livro. Com esses topicos na cabeça eu penso, se eu ja li um livro longo, ja me interessei pela historia e tal, porque eu vou vir aqui ouvir um monte de gente seria fazendo releitura do livro? As brincadeiras, piadas e coisas divertidas são o que dão cor e alma ao podcast, uma verdadeira discussão entre amigos, para amigos (todos nós, até porque nao conheço nenhum deles tambem). Bem eu penso assim e peço gentilmente que nao parem a brincadeira ou haverá ataque Globinoide por aqui.

    @Henrique, tambem acho um saco o tour pelo EUA e todos os livros que abordam o pais, mas por outro lado eu gostaria que tivessemos livros que fizessem o mesmo com o nosso pais, quem sabe assim nao dariamos um pouco mais de valor para ele?

    Eu realmente quando leio um livro assim me teletransporte para um mundo alien, onde o EUA é um pais que eu criei na minha cabeça e pronto, ajuda pacas para aguentar a leitura e levar bem as coisas.

    • Dani Toste

      Sobre o livro ser um tour nos EUA, pode até ser, mas não acho que seja no sentido de ficar supervalorizando o país, na verdade, acho que é simplesmente o cenário que foi usado pelo autor por um motivo muito simples: ele é americano e é muito mais fácil escrever sobre um país que você conhece e onde você vive.

      Ora, a J.K.Rowling não usa a inglaterra? O André Vianco não usa o Brasil? A Anne Rice não idolatra New Orleans? Não acho nada demais, quer dizer, nem todo mundo é um Tolkien da vida para ficar criando novos mundos e nem todo mundo é vive de viajem para conhecer todos os locais do mundo, então nada melhor do que escrever sobre o terreno que você conhece.

      Se eu acho que o livro seria melhor se os locais importantes fossem espalhados pelo mundo em vez de simplesmente pelos EUA, provavelmente sim, mas não ia ser um trabalho fácil, ia exigir muito mais complexidade da obra, e nunca se esqueçam: o livro é um romance infanto-juvenil, é para entreter, é para ser divertido.

      Nada contra não gostarem do livro, respeito muito, mas não gostem do livro pela narrativa, pela história, pelos personagens, pelo estilo, não por ele ser ambientado nesse ou naquele local.

  28. Cutia

    Talvez o autor tenhaa pecado no fato de não convenser o motivo pelo qual a história se passa nos EUA. Pois olha o exemplo do Vianco, o cara traz vampiros para o Brasil, porém vampiros portuguêses, usou todo um contexto até histórico. Convincente.
    “O Olimpo muda de acordo com a Potência”… não cola… Quer dizer que nos Séculos da Inglaterra, os faunos perseguiam fadinhas em vez de ninfas?!!! A chapeusinho vermelho tinha que se preocupar com os lobos e com os faunos taradões?!

  29. Thiago Cabello

    Concordo com o Cutia, não colou essa do Olimpo variar conforme a potencia. Logo mais teremos um Zeus de olhos puxados fritando pastel. Realmente não cola.

    Qto ao comentario do Marcelo, discordo dele. O tempero são os comentários, as brincadeiras, as piadas. Sem isso ficaria muito sem graça. É muito legal ver a Dani tentando manter a ordem… esse “quê” informal é que torna o podcast tão legal. Nunca percam isso.

    Abção

  30. henrique

    @Dani Toste:

    Sim, e pois se ele é americano, pois então que fale de coisas americanas, uai! Mas se ele gosta da mitologia grega, que explorasse a Grécia, por que fica muito desconexo tirar uma mitologia do seu lugar de origem.
    E também muitos autores se atrevem a escrever sobre outros países sem nunca terem visitado.
    Poxa, se estou lendo um livro sobre mitologia e deuses e no meio cai Las Vegas e cassinos eu broxo na hora. Isso é desculpa para seriados de baixo orçamento, não tem desculpa pra literatura.

    Entendo que ele não queira se preocupar em fazer algo sério e convincente, mas pra mim a ambientação conta muito pra dar charme, um tempero único pra história. Imaginar uma trama na itália renascentista, por exemplo, traz uma sensação única para o conto. Russia medieval, é outro sabor. Colocar o velho e batido Estados Unidos e suas típicas roadtrips pelo país pra mim deixa a trama muitissimo sem sal e sem gosto, de tão ultra explorado que a coisa é, ‘porque os autores são americanos’.
    E eu enjoei da maioria das coisas desse país por causa disso, acham que o único lugar importante a ser explorado são aqueles mesmos lugares de sempre. Antes pelo menos falassem mais das culturas nativas, a mitologia dos nativos americanos podia ser muito mais explorada.

    Ah, e a JK não faz o Harry passear por Londres e ver o Big Bang. Ela não faz a ministério da magia ser dentro do palácio de Buckingham, assim como vocês disseram que o Monte Olimpo fica no Empire States. Ela pega a estação King’s Cross e olhe lá, é só pra poder mandar os personagens pra fora do lugar comum.
    Ela também foge do normal ao dar um clima escocês pra trama. Vejam pelas criaturas, das quais muitas são baseados na mitologia escocesa, e que eu nunca havia ouvido sequer falar antes. E isso deu um toque especial para aquele universo pra mim.

  31. Hatake Diogo

    E ae pessoal, tranquilos?

    Reouvindo o cast ontem percebi algumas confusões/erros que são:
    1º: Na minha mensagem citei Chronos como um Olimpiano, sorry xD
    2º: Vocês confurdiram a volta da excursão com a dispensa dos alunos do internato (quando falam das Parcas);
    3º: Pode parecer meio fora de foco falar isso, mas é algo relativamente importante pros próximos livros, o Percy quebrar a lança mágica da Clarice durante a Caça as Bandeiras;
    4º: Que eu lembre, Ares manda eles pra um parque aquático, não de diversão.

    Espero ter ajudado.
    Abraço

  32. Samuel Varela - 31 anos - Crato-CE

    Eu estava pensando em comprar esse livro, mas estava bem pensativo se valia a pena ou não comprar, então depois de ouvir esse podcast, vi que ainda não vale a pena comprar. Vou esperar para ver o filme e depois eu vejo se compro ou não.
    Gostei do podcast, ficou bem legal. Só achei um pequeno defeito que algumas vezes ficava um ruído de fundo, alguns de vocês ficavam, acho que, conversando longe do microfone e ele ficava captando alguns sussurros.
    Fora isso, ficou muito bom.

  33. Denis "Sensei"

    Ótimo episódio pessoal. Eu fiquei fãzaço dessa série assim que saiu o primeiro livro, e ja li os três que sairam aqui no Brasil.

    Já que vocês citaram Terry Pratchett, um escritor do qual sou muito fã, fica aqui uma dica de livro para vocês fazerem uma resenha futuramente, o Belas Maldições, escrito em conjunto por Pratchett e o mestre Neil Gaiman.

    Abraços.

  34. Cutia

    Comprei o livro…

  35. Pingback: Resumo – Atrasado – Parte 2 « TeiaCast

  36. thiago_rt

    Muito bacana o podcast. Esse é o primeiro grifo nosso que escuto e axei muito legal, a ideía de um podcast sobre livros. Muito boa sorte nessa empreitada.

  37. Jagunço

    Ri demais com esse aqui. Muito bem humorado. A idéia da marca de tridente na testa do Pierce e a brincadeira com os filhinhos carequinhas do Kratos (hauhaihauhauhauhau) foram certeiras… :)

    T+, turma. :)

  38. Clayton

    Gostei muito do podcast, muito criativo, bem humorado, parabéns para a equipe. Depois vou ouvir os outros livros..
    continuem postando..

  39. Dy

    Você quis dizer Harry Potter é ótimo! hahahaha
    Gostei bastante do podcast de vocês!

    Eu sou uma que achou as duas história bem parecidas, mas só superficialmente mesmo!

    Só é difícil ficar só ouvindo…. hahahaha…. a vontade de falar em cima é muito grande! hahahahahaha ( sim, eu tenho problemas, MUITOS)

  40. Edmilson

    Ja li os livros, gostei do podcast. primeiro que ouço de vocês, acho que ouvi vocês no nerdcast ou rapaduracast, confuso! kkkk mas o importante é q gostei :)

  41. Pingback: Grifo Nosso » Review: O Herói Perdido

  42. Garneck3

    Oi pessoal do GN.
    sou ouvinte de vários podcasts, sobre temas variados, mas nenhum de livros. pena que esse assunto não seja tão popular quanto cinemas, games, quadrinhos, etc…
    Como estou embarcando na de vocês só agora, vou fazer maratona de episodios e ir comentnando na medida do possivel.XD
    Ah o ladrão de raios….
    um livro bastante interessante. e tenho uma boa relação com ele. pena que quando terminei de ler esse livro não tive mais vontade de lê-lo novamente. explico: a história é divertida e te mantém ligado do inicio ao fim, mas não é um história memorável, do tipo que eu vá tempos depois sentir saudades e mais uma vez reler e acompanhar a história desse universo.Assim, tipo o Hobbit,vez por outra, me pego imaginando a história de Bilbo e vpu à minha estante para revê-la por completo.
    quando li o ladrão de raios, foi em um unico fim de semana que avidamente li os 4 volumes. Gostei tbm das muitas releituras das aventuras da mitologia grega. acho que falta em nossos tempo histórias como essas passadas nos dia de hj, e toda a serie vem bem a calhar nesse aspecto.
    Abçs ateh +

  43. igor

    este livro e otimo

  44. Marilia Gil

    Depois que acabei de ler Harry Potter me senti orfã, sabe aquela depressão pós livro bom? Aí descobri a saga olimpiana. Li loucamente do começo ao fim. rs
    Não é revolucionário, mas tem um ritimo gostoso. É divertido ver as “mudanças” mitológicas. Achei uma releitura bem digna dos contos antigos.

    Pena que o filme ficou bem diferente do livro… Como de costume, sempre gosto mais dos livros do que dos filmes, especialmente pq na adaptação, apesar de ter partes legais, eles mataram mtas coisas que seriam importantes a frente na história… vai ver que foi por isso que não emplacou.

    Só uns detalhezinhos mitológicos:

    Fúrias e Harpias são os mesmos bichos, mas depende da mitologia: Fúrias são Gregas, Harpias são Romanas.

    Athena nunca deu o “Voto de Minerva”, afinal, Minerva era uma divindade Romana, ou seja, Minerva deu o “Voto de Minerva”.

  45. Rodrigo

    Não gostei do livro.Esperava muito, por saber que se tratava de Mitologia Grega, e acabei me decepcionando. Encontrei um autor estadunidense fazendo o que os estadunidenses adoram fazer: se exibir e vangloriar-se de ser uma superpotência mundial.
    Volta e meia me sentia incomodado com o que ora parecia uma imitação de “Harry Potter”, ora parecia uma crítica despeitada ao outro livro.
    A modernização dos personagens míticos também ficou um tanto tosca ( embora a ideia do Rick Riordan talvez fosse justamente criar uma paródia daquelas figuras) a narrativa em primeira pessoa, com os pensamentos imaturos do personagem principal não me cativou…Bem, mas para ser justo, e lembrar que não foi uma total perda de tempo essa leitura, gostei da trama acelerada que o autor usou, sem perder tempo com detalhes inúteis, o que facilitou lê-lo em pouco mais de um dia.

    • Vitor Coelho

      Concordo com o Rodrigo e acrescento que ainda não li um livro com tantas soluções Deus Ex Machina quanto esse.

Adicione um comentário