Capítulo 10 – O Aprendiz

Escrito por: | em 09/06/2010 | Adicionar Comentário |

O PODCAST:

Play
Play

Baixe a versão zipada: Download.

Nota: Este podcast contém Spoilers.

O LIVRO:

Título: As Aventuras do Caça Feitiço: O Aprendiz

Autor: Joseph Delaney

“O Aprendiz” é o primeiro livro da série “As aventuras do Caça Feitiço”, e conta a história de Thomas Ward, um sétimo filho de um sétimo filho que começa a aprender a profissão de Caça Feitiço. Um livro bem equilibrado, com a medida certa de ação e suspense, numa proposta bem única em relação aos livros infato juvenis atuais.

Edições utilizadas:

– Delaney, Joseph. O Aprendiz. Tradução: Lia Wyler. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009.

A EQUIPE:

Comentários por: Danielle Toste, Eric Torres, Juliana Morais, Gustavo Domingues.

Edição por: Gustavo Domingues

Comentário em e-mail por: Ingrid Pena

A AVALIAÇÃO:

AVALIAÇÃO Dani Eric Gustavo Juliana Média
Trama 4,0 3,0 4,0 3,0 3,50
Personagens 3,0 4,0 4,0 4,0 3,75
Escrita 3,0 5,0 3,0 3,0 3,50
Leitura 4,0 5,0 5,0 5,0 4,75
Média 3,50 4,25 4,00 3,75 4,00

AS REFERÊNCIAS:

Trilha Sonora:

Dj Fab – Through the Shadow and the Light

Evan LE NY – Rever… Peut-etre…

PROXIMO EPISÓDIO:

O Capítulo 10 será sobre o livro: “Alice através do espelho” de Lewis Carroll.

Comentários, dúvidas, sugestões: contato [arroba] grifonosso.com



Categorias: Podcast
Tags: , , , , , , ,

Dani Toste

Advogada, jogadora de RPG, viciada em internet, amante de de livros, séries, música e filmes. Acha que o Lewis Carrol é um gênio, é obcecada pelos livros da Alice que considera os melhores do mundo.

16 Comentários sobre Capítulo 10 – O Aprendiz

  1. Mallu Araujo

    Olá,
    Mais um capítulo que adorei, esse também foi bastante engraçado e solto e, vi pela primeira vez, como é dificíl para a Dani manter a ordem, o foco e fazer o pessoal parar com as conversas paralelas.

    Quanto ao livro, li o e-book que achei no ebooksgratis.com.br e tinha umas traduções diferentes, como por exemplo os ‘sapatos de bico fino’ que no ebook ficou ‘sapatos bicudos’ e o livro em latim que pra mim ficou ‘Desesperados’ em vez de ‘Tontos’.
    Agora, vocês falaram que o serviçal/protetor era um Ogro, o Tom depois fala que ele é um ogro e eu acabei não percebendo ou é coisa da versão de vocês? Porque que eu me lembre o Tom só fala que ele é um demônio e depois que quando ele pediu ajuda, ofereceu a folga e tudo mais o demônio se transformou em um gato.

    Por pura coincidência as duas vezes que fui ler o livro era de madrugada. Só parei de ler o livro na primeira tentativa pois já era muito tarde e me forcei a dormir, senão com certeza leria de uma vez só. Super fluído, realmente uma delícia de ler. Acho que no total gastei umas 4 horas para ler tudo, divido nos dois dias, o que pra mim foi bem rápido, ainda mais contando que no pc leio mais devagar, isso sim é um livro em primeira pessoa :P

    Mudando de assunto, adorei a idéia de continuarem com o mesmo tema e lerem as sequências na mesma ordem dos capítulos, pena que vou ter que ler os dois livros (Alice, Brumas, Percy e Mochileiro) já que não li nenhum deles, só espero que dê tempo.

    Abraços.

    PS: Como faltava reclamar desse capítulo, na hora em que a Dani estava dando a nota para a Trama e começou toda aquela balbúrdia, a trilha sonora ficou bem mais alta e só depois um tempão é que normaliza, não sei se o Gustavo colocou assim para criar uma tensão a mais ou se adora a música, mas achei alta demais. Como já disse, pode ser só pra mim, sou meio fresca e surda, o que não é uma boa combinação :P

    • Dani Toste

      Mallu, acho que o negocio do ogro é comida de bola da sua edição.

      O Tom fala sim que ele é um ogro e não há, pelo menos nesse livro, nenhuma menção a demônios. Aliás, nessa parte da folga o Tom não vê o ogro em outra forma, nem ve ele se “transformar”. Quando ele entra na cozinha para pedir ajuda, ele não ve o ogro, apenas sente que ele está lá, e depois que ele fala das folgas, escuta um ronronar alto e o gato sai de baixo da mesa, tanto que o Tom se pergunta se ele estava ali o tempo todo.

      Sobre as sequências, achamos que foi a melhor opção, para manter um ritmo regular e pelo menos previsível de leitura. mas considerando os livros de sequência, acho que você não terá problemas em ler os dois pois são todos curtos e, na minha opinião, de fácil leitura (incluindo o brumas, que os meninos odeiam). Pro Alice, provavelmente só conseguiremos gravar no começo do mês que vem (por causa da nossa semana de provas), então você deve conseguir ler sem problemas, mas se não conseguir, leia só o através do espelho pois não se trata de uma sequência, mas de histórias independentes.

      Sobre o audio, para ser honesta ainda não consegui ouvir até o fim, o Gustavo me entregou ontem e como já tinhamos perdido mais de uma semana na edição eu publiquei antes de ouvir inteiro, depois vou conferir e se o problema estiver realmente muito incomodo tentarei substituir o audio.

      Abraços.

  2. Mallu Araujo

    Oi Dani,

    Descobri porque o livro que li tinha algumas diferenças, li na versão em português de Portugal :P
    Nesse, o que mais aparece são os demônios. Logo no começo, o Thomas mente dizendo que foi o melhor bacon com ovos que ele já comeu e se desculpa por ter descido cedo demais na cozinha, e depois o Mago diz que ele fez bem pois há duas coisas que reagem bem a um elogio, uma é a mulher e a outra é um demônio.

    Mas fiquei curiosa sobre isso e dei uma procurada na net. Pelo que descobri na verdade ele não é nem ogro e nem demônio, e sim um “boggart” que no caso seria algo como um fantasma ou poltergeist.

    E quanto a parte do gato, realmente o Tom não vê ele se transformar, mas achei que foi o que deu a entender, porque o gato aparece do nada e nas vezes que o Tom elogia o demônio ele ouve um ronronar.

    Abraços.

    • Dani Toste

      Oie Mallu,

      Eu não sabia que o termo original era “boggart”, nesse caso cuidado para não confundir, o termo não tem a ver com fantasma (que são outros “monstros” no livro). Na verdade o termo é do folclore inglês para uma criatura que é uma espécie de duende (se não me engano, é usado no spiderwick – sabe aquele bichinho que ajuda ele, e que quando fica bravo se transforma? o que ele se transforma seria um “boggart”). No Harry Potter também, não sei se você se lembra do “Bicho Papão” que é aquele “monstro” que se transforma no que a pessoa mais teme, se não me engano o termo original também era “boggart”. É dificil, portanto, achar um nome ou uma descrição perfeita para o que seria, tendo em vista que por ser folclore já tem várias versoes e para traduzir para outra cultura fica ainda mais dificil. Mas no geral está relacionado à idéia de um monstro mais doméstico (não porque domesticado, mas porque atormenta as pessoas no ambito de suas próprias casas).

      Sobre as traduções portuguesas, até comentamos no podcast que algumas coisas são sofriveis, traduzir a profissão como “mago” para mim é forçar a barra demais, nesse ponto apesar das criticas da Ju eu prefiro mil vezes o termo “caça-feitiço”. “Demônio” também pareceu meio forçado, esse tipo de tradução acaba tornando algo que é mais ligado a folclore em algo mais mistico, que não me parece o clima adequado para esse livro.

      Mas traduções são um problema mesmo, pretendo até fazer uma coluna sobre isso aqui no site (quando tiver um pouquinho mais de tempo), as vezes eu simpatizo com os tradutores, porque nem sempre há uma palavra ou expressão correspondente no idioma, mas as vezes é uma esculhambação.

  3. Mallu Araujo

    Oi Dani,

    Valeu pelo esclarecimento ;)
    Quando fui procurar o que significava não achei uma tradução direta para o português, mas achei uma para o espanhol que dizia justamente que era um duende, ai não sabia o que era o boggart realmente.

    Eu gostei bastante da tradução portuguesa, embora tenha uma palavra ou outra como o próprio demômio e o mago que ficam meio forçadas.

    Realmente tem algumas traduções que ficam muito apelativas. Bastante gente que reclama das traduções do Harry Potter mesmo, eu acho até muito boa, considerando justamente que a gente não tem muitas das expressões que eles usam.

  4. Andre V.H

    Impressão minha ou esse livro é meio po#*a louca? Demorei pra entender do que vcs tavam falando =P.

    Achei legal o lance de colocar as continuações a cada dezena. É combustível pra muuuuitos capítulos. Pena que, sendo assim, deve demorar até vcs começarem outra série e eu tinha esperanças de ouvir um cast sobre o Discworld do Terry Pratchett em breve. Vcs precisam acabar logo a facu pra fazer um cast semanal! Hehe brincadeira, não me xinguem.

  5. Renan MacSan

    Olá, é muito bom descobrir o Grifo Nosso, ainda mais depois desse imenso hiato do Papo na Estante. Ganharam um fã.

    Sobre a pontuação queria propor que voltasse o esquema de pontuar até 10, mas sem números quebrados, porque as vezes vejo a dificuldade de vocês de por exemplo dar um 4 pro livro sabendo que podia dar mais. Pontuando até 10, o 10 poderia ser a perfeição, aquela nota que é realmente pouco dada, sendo assim acho que seria muito mais justo com o livro e mais fácil para vocês.

    Sobre Cornwell acho que seria muito legal um livro dele, é um dos meus autores favoritos, mas por favor, não leiam nenhum livro único dele como vocês falaram. Podem perguntar a qualquer fã e vão dizer que as piores obras dele são os livros sem continuação, tenho certeza que quem nunca leu ele vai se decepcionar se começar por um livro isolado como Stonehenge, Azincourt ou O Condenado.
    Para realmente ler um Cornwell e conhecer a escrita dele tem que ser o primeiro de alguma coleção, particularmente recomendo O Rei do Inverno ou O Último Reino, os melhores dele. Sei que é chato porque aí meio que obriga vocês a lerem o resto, mas a primeira impressão é a que fica, comecem a ler ele por uma das melhores obras.

    Assim se evita cair no mesmo erro do Julio Verne. Quando vi que tinha um podcast sobre Viagem ao Centro da Terra pensei: Nossa, mas foram ler logo um dos piores dele! E ao escutar vi que alguns de vocês nunca tinham lido ele, e como o livro não foi bom essa é uma impressão que fica sobre o autor. Já li uns 5 livros dele e concerteza esse é o pior, prefiro A Ilha Misteriosa.

    Talvez até fosse legal ler O Rei do Inverno porque além de ser a obra mais vendida dele tem relação direta com As Brumas de Avalon que vocês começaram a ler, e pode ser feito inclusive uma comparação. São ambas obras tentando recriar o mito arturiano.

    Com relação a Percy Jackson também acho que o filme deveria ser bem mais fiel. Mas vocês falaram que nunca viram um negro com sardas… tem certeza? Vão no google agora e digitem Morgan Freeman e olhem pro rosto do sujeito… hehe.

    Enfim, continuem com o ótimo trabalho e espero que o próximo não demore muito. Aguardo ansioso!!!

  6. R.Martino

    Reforço a sugestão de começarem por O Rei do Inverno. Aproveitando o espço indico O Nome do Vento – de Patrick Rothfuss, que tem um estilo mais “adulto” mas continua no universo fantástico. É uma leitura deliciosa, recomendo.

  7. Jagunço

    Concordo com o Renan em cada ponto. O Rei do Inverno é uma ótima opção, ainda que O Último Reino seja mais curto. De toda forma, Cornwell merece ser lido pelos “clássicos”. :P

  8. Thaís Priolli

    Não poderia concordar mais, acredito que o ideal seria O Rei do Inverno, pois já terminou, crônicas saxônixas ainda não teve um final.

  9. Thiago Iorio

    Oi pessoal do Grifo Nosso!!!
    Sou o Thiago Iorio do Na Calçada Podcast, sou ouvinte do Grifo faz um tempinho e resolvi comentar nesse pra parabenizar pela ótima edição, a trilha ficou ótima! volume bom, as vozes limpas e o tom de gravação “tudo junto” com vozes mais ao fundo é o que dá identidade ao Grifo!
    Não vou comentar sobre o livro pois não li mas achei muito legal para uma leitura rápida, como foi dito.
    Abracx!!

  10. thiago_rt

    Li o livro gostei e estou esperando chegar o segundo. Ouvi e gostei muito desse podcast.

  11. Felipe Nunes

    Li esse livro quando meu irmão ganhou de presente e achei ele bem divertido, nada espetacular mais um entretenimento simples, bem rápido de se ler. Meu irmão também gostou dele, inclusive já comprou o 2, que já li, e o 3.

  12. Munir

    Cara, incrível!
    Tenho acompanhado o site a um certo tempo e a cada Podcast novo fico mais impressionado com o ótimo trabalho!
    Sou um grande fã da literatura (provavelmente como todos as pessoas que os acompanham kkk) e graças a vocês tenho anotado ultimamente vários livros para adicionar a minha coleção. O Aprendiz com certeza é um deles.
    Abraços!! E claro, obrigado =D Espero ansiosamente pelo próximo.

  13. thiago_rt

    Gostei bastante desse episódio, li o livro e realmente ele é bem curtinho, não é um super livro mas o suficiente para divertir e te puxar para o proximo volume.

  14. Tatiana Haruhi

    Tive que voltar aqui e comentar, eu comprei a coleção lançada até agora no Brasil (O Erro – Livro 05) por causa de vocês. É um livro infanto-juvenil sim, mas assim como Percy Jackson, é muito divertido de ler.

    Existem livros sofríveis e essa coleção não esta entre eles. Eu gosto do Tom e gosto também dos podcasts de vocês. Então, obrigada.

Adicione um comentário