First Blood: Você não conhecia o livro do Rambo.

Escrito por: | em 06/09/2010 | Adicionar Comentário |

Se você é jovem demais e só conhece Rambo como um personagem idoso que Sylvester Stallone ressuscita para acumular alguns milhões em bilheteria, você não deve saber que ele é um personagem com status divino no panteão dos filmes de ação e um dos únicos que se tornaram um adjetivo (meu deus! Aquele cara é um Rambo!) durante os anos 80.

E também criou a moda de bandanas vermelhas

Mas o que poucas pessoas sabem é que o filme Rambo: Programado para Matar (ou Rambo: A Fúria do Herói em Portugal) na realidade foi baseado no livro First Blood do escritor David Morrel. É sério. Existem livros do Rambo. De verdade. E eles não são só um monte de onomatopéias representando as explosões. Sério.

Que não deixaria de ser uma idéia espirituosa, apesar de imbecil.

O filme é uma adaptação razoavelmente fiel do primeiro livro, mas o enfoque é mudado.  No filme nós vemos o soldado americano que volta à sua terra depois de sofrer por anos no Vietnam vendo seus amigos morrerem e sendo preso e abusado por seus captores Vietcongues (talvez eu tenha inventado a parte do abusado, mas eu gosto de pensar que só uma pessoa abusada tem tanta sede de sangue quanto Rambo).

É o que todos nós aprendemos com Marsellus.

E ao invés de receberem o herói John Rambo com chá e bolachas,  as pessoas da cidade em que Rambo procura um velho amigo seu o vêem com desconfiança e o Xerife da cidade o prende injustamente, levando à sua fuga e consequentemente ao banho de sangue mais violento da América desde a conquista do Oeste.

No livro Rambo não é tratado como um herói injustamente perseguido, mas sim como um homem problemático que causa a morte de inúmeros inocentes, sendo que ele é perseguido e morto ao fim (ops, spoiler). E no livro também está a cena em que Rambo derruba um helicóptero com uma pedra.

Veja e aprenda Davi. Veja e aprenda...

Veja e aprenda Davi. Veja e aprenda…

O filme têm um final alternativo em que Rambo se suicida (no livro seu amigo Coronel Trautman mata ele), mas Sly Stallone se recusou a aceitar o fim trágico vendo o potencial da franquia. O engraçado é que o autor gostou do final em que Rambo sobrevive, e até escreveu os livros que correspondem aos demais filmes da franquia, todos sem explicar como Rambo sobrevive à um tiro no rosto sem sequelas (também me pergunto como 50 Cent sobreviveu e porque não usaram uma calibre 12 nele já que era pra estragar o velório). E o segundo livro não começa com um necromante invocando Rambo do Valhalla.

O que é realmente uma pena é o fato de o livro nunca ter sido traduzido para português, uma vergonha para um país  que se diz conhecedor do Rambo. E olha que até a Xuxa já fez uma música para o Rambo em seu Xegundo Xou da Xuxa.

"Adriaaaaaaaaaaaaaan"

Pois é… Xuxa.

Leiam com vontade.




Categorias: Curiosidades, Diversos
Tags: , , , , , , , , , , ,

Gustavo Domingues

Leitor inveterado e crítico mal humorado, pretende criticar todos os autores até alienar a literatura para sempre!