Notícias Subterrâneas: Semana 42

Escrito por: | em 22/07/2012 | Adicionar Comentário |

Chegando com uma voadora de dois pés no horário! Venci os atrasos! Quadragésima quarta semana das Notícias Subterrâneas no ar, trazendo os melhores ou piores lançamentos de ficção especulativa de 15 a 21 de Julho. E para compensar que a semana passada foi fraca, temos vários lançamentos decentes e também ótimos lançamentos que deixei passar. O que estamos esperando? Todos a bordo do Transubterrâneo!

PS: essa é a semana dos audiobooks.

Lançamentos

Sharps (K. J. Parker)

Sharps

E este é o lançamento atrasado. Saiu no dia 5, mas deixei-o de lado vergonhosamente, e já agora há outra edição send lançada. De um certo K. J. Parker, um desses autores mais discretos e apagados que tem simplesmente uma dúzia de bons livros lançados e é um dos primeiros da minha lista de compras com The Folding Knife (já me recomendaram algumas vezes).

Sharps é uma história independente das outras obras de K. J. Parker, mas ligada a todas as outras por diversos elementos, ainda que (uma marca registrada do autor) contradizendo vários acontecimentos de livros anteriores. É o charme dele, um dos meu reviewers favoritos descreve como “a deep but mutable history depending on who is writing it”. Enfim, há dois reinos em guerra há quarenta anos, agora à beira de um colapso econômico completo. As tentativas de trégua estão dando frutos instáveis e o futuro é incerto, quando dois times de esgrimistas, um de cada nação, são colocados frente a frente em um torneio que pode definir o futuro dos dois lados. Eis a situação delicada.

Bom, tenho altas recomendações de K. J. Parker, mas ainda não li nenhum dos livros dele.

Também disponível para Kindle.

The Milkweed Triptych: The Coldest War (Ian Tregillis)

The Coldest War

Guerra fria, por que não? Na verdade The Coldest War foi lançado em Janeiro, mas como audiobook, e só agora chega em um formato físico.

Sequência de Bitter Seeds (comentei sobre esse em Abril, se não me engano), que falava sobre a segunda guerra, The Coldest War evolui a ideia de “britânicos têm magia negra, alemães têm tecnologia e super-poderes” para “britânicos têm magia negra, soviéticos têm tecnologia e querem super-poderes”. Os feiticeiros britânicos estão morrendo e deixando seu povo desprotegido, enquanto os soviéticos pegam pesado na engenharia reversa para descobrir os segredos dos super-humanos nazistas. The Coldest War acompanha o retorno do espião Raybould Marsh à ativa com dois fugitivos soviéticos sob sua proteção.

Não acho que dei muito crédito para Bitter Seeds, e li algumas críticas positivas depois, ainda não dou muito crédito para essa série. No entanto, agora fiquei curioso para ver qual o próximo passo disso, se é que terá um próximo passo. Para todos aqueles que curtem versões sinistras de histórias de super-heróis (e que adoram o Alan Moore) muito mais que eu, é um prato cheio e muito bem servido.

Também disponível em audiobook.

Energized (Edward M. Lerner)

Energized

Crise por energia, conflitos entre progressistas, conservadores e ambientalistas, autor de ficção-científica com muitos anos de carreira e muitos livros publicados, mas nada que realmente catapulte um cérebro até o teto. Conhecem a fórmula.

Uma grande escorregada dos supostos engenheiros entendidos no assunto leva a uma contaminação das reservas de petróleo do Oriente Médio com material radioativo. Palmas para essa cagada astronômica! E nenhuma nação consegue substituir tão rápido seus queridos combustíveis fósseis por fontes mais viáveis, o que leva a crises globais. Os russos possuem a maior parte do resto do petróleo e apertam o mercado com mão de ferro. Então os americanos colocam um asteroide riquíssimo recursos que tornariam simples a produção de grandes captores de energia solar em órbita. Mas nem todos se beneficiariam dos EUA não submissos à Rússia.

Certo, isso foi… Não sei. Isso foi o lançamento tapa-buraco da semana, ou estou implicando com algum elemento muito específico da sinopse que não sei identificar ainda. Bom, digam-me o que acharam.

Também disponível em audiobook.

21st Century Dead: A Zombie Anthology

21st Century Dead

Zumbis, deuses da cultura pop, bombando em mais uma antologia de contos. O diferencial são os autores, essa é uma coletânea de autores best-sellers editada por um autor premiado por outra coletânea de contos sobre zumbis (Christopher Golden). Então… Zumbis. Até que fiquei curioso para ver como o Daniel H. Wilson (de Robopocalypse)  escreve um conto de zumbis.

Também disponível em audiobook.

Só para constar, um lançamento britânico

Kefahuchi Tract Trilogy, livro 3: Empty Space (M. John Harrison)

Empty Space

Preciso comentar sobre o lançamento disto aqui, mas não é um livro que eu arrisque comentar. M. John Harrison é um autor meio surrealista de sci-fi que já foi chamado para o clubinho do New Weird, mas se recusou a participar de qualquer movimento. Sua última série de space-opera-bizarra, Kefahuchi Tract Trilogy, chega a sua conclusão com o lançamento de Empty Space. Não comentarei mais nada sobre isso por um motivo muito simples, leiam a sinopse e entenderão, além do que, não quero buscar uma sinopse mais detalhada, tenho interesse em ler isso.

Estou Lendo

Cinco Luas veio e foi, muitos japoneses mortos e muitas cenas de ação transcorridas, fora uma narrativa competente com um passo muito bom. Semana que vem ou depois aparecerá uma review aqui com todos os detalhes. Ríspido, não quero entregar mais do que achei do livro (vamos ver se matamos o Ronaldo na expectativa, mwahaha).

E estou mergulhado em The Eye of the World. Wheel of Time é tão… tão… digo, é tão… bom. Claro, diversas coisas lá são tremendos clichês, mas ver um clichê feito com tanta paixão e tão bem escrito mata um pouco do leitor chato dentro de mim e por um tempo só consigo continuar flutuando por lá e anotar frases muito épicas que utilizarei como exemplo ao lado de algumas do Malazan Book of the Fallen sempre que criticar fantasia épica. Mal cheguei na metade e claramente estou deslumbrado pela vastidão de uma série que já comecei a ler com toda a reverência imposta por um álbum do Blind Guardian e milhares de referências (é de certa forma como ler o Senhor dos Anéis), então provavelmente meu discurso na próxima semana será diferente. Mas por enquanto: WOW.

Obrigado a todos pela presença!

Mais um obrigado a todos que acreditaram que não me atrasaria novamente. Manterei isso assim por um bom tempo.

Deixem  seus comentários sobre os lançamentos, o que estão lendo e qualquer notícia que eu tenha deixado passar (há várias com certeza).

Até a próxima semana!

Menções Honrosas

Shine Shine ShinePanic



Categorias: Notícias Subterrâneas
Tags: , , , , , , ,

Lorde Worth

Caçador de Hobbies exóticos, leitor obsessivo e jogador compulsivo.

8 Comentários sobre Notícias Subterrâneas: Semana 42

  1. Ronaldo Cavalcante @RonaldoCav

    Quem são esses mesmo que acreditaram que vc não ia se atrasar? kkkkkkk

    Então… acho q gostei de quase todos. Inclusive da antologia… tupix tupix tupix (garrafas de champagne sendo abertas… let’s go:

    Eu sou fã de torneios, de qualquer tipo, independente da trama, pode até não possuir trama que eu estou gostando. Esse lance de separar em grupos e ver quem é o melhor ou quem consegue passar adiante sempre me cativou bastante. Isso envolve quase todos os animes de luta, né? Inclusive Pokemon, sim, eu assistia, só Deus pode me julgar… Então Sharps entra na minha lista certeeeza.

    Hahaha… adoro essas viagens looooucas envolvendo um acontecimento histórico. The coldest war deve ser muito bom. Me pergunto se o autor cita alguma outra nação, e o que essa nação tem de diferente.

    Energized… Hmmm… parece muito interessante, Sr. Worth, mas o que deve estar te atormentando é o fato dos engenheiros não conseguirem uma forma de energia rápida que substitua o petróleo contaminado, mas CAPTURAR um asteróide e trazê-lo para a órbita da terra e extrair energia dele parece uma solução muito mais fácil… sei lá…
    O desenrolar deve ser bom, cara, deve ter sabotagem da rússia para o projeto não ir pra frente e tals…

    A antologia.. já falei que gostei, já é um comentário e tanto. ¬¬

    Empty Space, sério… que loucura. tenho medo dessas leituras que esperam por mim há mais de 10,000 anos kkkkkkk

    “Cinco Luas veio e foi, muitos japoneses mortos e muitas cenas de ação transcorridas…”
    hahaha… de que japoneses vc está falando??? kkkk -.^
    Tenho recebido feedbacks de como a leitura “veio e foi”… espero que tenha sido positivo como tenho recebido de outras pessoas.
    Nada de suspense com o pobre pisciano, sr. worth… vc não sabe como isso altera a vida de um ser banhado e afogado nessa maldita estrela hahaha

    Estou terminando Dragoes de Eter, e estou falando sério dessa vez, quero começar logo a saga dos tronos do Martin para comentar com vcs depois… Meta!

    Me indica uma boa obra do Alan Moore, sr. worth???

    Vlw e parabens pela pontualidade!!!! Esse chute no peito com os dois pés vai mostrar para esse horário quem manda por aqui… ^^

    • Guto Vissoci

      Ronaldo, vou me intrometer, mas praticamente qualquer coisa do Alan Moore tem qualidade.
      E olha que eu, pessoalmente, não sou um grande fã dele:admiro o talento e reconheço a enorme qualidade de suas obras; só não curto muito os temas que ele escreveu, minhas hqs favoritas tem outra pegada.
      Se quiser conhecer o cara, tenta os clássicos dele: WATCHMEN (claro, obra que mudou os comics), V DE VINGANÇA, DO INFERNO (q na opinião de uns amigos é A melhor coisa que ele escreveu) e LIGA EXTRAORDINÁRIA. Além desses, numa pegada diferente, mais “conservadora”, experimenta TOM STRONG(uma aventura num estilo `pulp`, com um herói cientista) e TOP TEN(como seria a polícia numa cidade onde todos tem superpoderes), que, devido sua natureza mais ‘normal’, mais me agradam.
      Esqueci algo, Lord worth?

      • Lorde Worth

        Olha, Guto, tirou as palavras da minha boca. Acho que não tenho o que adicionar nas sugestões.

        Eu pessoalmente tenho com o Alan Moore o mesmo problema que com o Michael Moorcock: gosto das obras mas não do autor. Curiosamente, Liga Extraordinária é um de meus comics favoritos (apesar de destoar do que costumo ler), enquanto V de Vingança é uma das obras que me causa mais desgosto.

      • Ronaldo Cavalcante @RonaldoCav

        Valew, Guto!!! \o/

    • Lorde Worth

      ALGUÉM ACREDITOU! EU SEI QUE SIM! (sai correndo rumo ao crepúsculo)

      Animes de luta, animes de luta, animes de luta. Todos eles, sem nenhuma exceção. Se não tem torneio não é anime de luta!

      PUTZ! É isso mesmo! Exatamente o que me perturba! Por que o inferno eles arrastam um meteoro gigante para a Terra ao invés de desenvolver outra fonte de energia?

      Empty Space é dorgas. Altas dorgas. E Lorde Worth adora falar de livro dorgas quase tanto quanto de falar de si mesmo na terceira pessoa.

      Ora, como assim “de que japoneses”? Todos de Daisuke têm nomes de anime old-school! A leitura foi realmente rápida, mas aqueles erros de edição… Poxa, até para mim foram um desafio, hahahaha. Falha da Novo Século.

      Quanto ao Alan Moore, o Guto já falou o que eu ia dizer: não sou fã dele, mas é mais por causa dele em si e não das obras (e as clássicas são essenciais para qualquer experiência com quadrinhos). Confira Watchmen, V de Vingança, Do Inferno e Liga Extraordinária.

      • Ronaldo Cavalcante @RonaldoCav

        hahahahahahaha… “anime old-school” foi massa….
        Eu te aviseeeeei sobre os erros. Eles me corroem a alma a cada crítica… louco para chegar na 2º edição logo.

  2. Guto Vissoci

    Mais uma semana, mais uma vez vejo o prejuízo para o meu bolso.
    Gostei do K.J.Parker. Ainda vou ler alguma coisa dele. Talvez não essa, mas com certeza alguma coisa.
    Também vou marcar para o futuro esse energized, gostei da premissa (vai ver é porque eu ainda não tenho contato suficiente com tudo parecido que sai).
    E também vou anotar o Wheel o Time. Se está tão bem falado, como deixar de fora?
    Já antologia, nhé. Nada contra, mas gosto de histórias longas, com muitos detalhes e nuances. Sou um cara de séries.
    Dito isso, vou aproveitar a deixa para responder uma pergunta que vc fez numa sessão subterrãnea anterior: Já li o 1632. Se gostei? Bom, julguem por vcs mesmos, mas adiantei em alguns meses minha próxima compra na Amazon, porque, simplesmente, PRECISO ler mais do que acontece com o povo de Grantville. Minha conta bancária que se vire! hahahah CDC é para isso mesmo! hahahha
    Sério agora (e talvez com algum comentário que possa ser considerado pequeno spoiler): reconheço que não é uma obra perfeita, mas é fenomenal a forma como o autor consegue abordar as diferenças de costume, tecnológicas, como o povo de hj se viraria naquela época… os detalhes fazem a diferença. Tá, acho que os povos todos, seja daquele época ou da nossa, aceitam bem demais a premissa imposta; eu imagino que numa situação real, muita mais pânico, incredulidade e desconfiança seriam vistos e sentidos do que o livro deixa transarecer… Mas, se fosse assim, seria um livro chato, muito chororô. Da forma como esta, pode-se dedicar em seguir a trama.

    Bom, é isso.
    Abração!

    • Lorde Worth

      “gosto de histórias longas, com muitos detalhes e nuances.”
      Guto, definitivamente leia Wheel of Time, é uma das coisas mais clichês e detalhadas que já li. Cada reação e cada mínima coisa que poderia ficar subentendida é explicada. É assim que uma série acaba com 14 livros, suponho.

      Ora, dois pontos positivos para Grantville: não tem chororô e, ao invés disso, tem mais detalhes. Vejo minha próxima compra do amazon modificando-se também, hahaha.
      Excelente, mais uma série colossal.

Adicione um comentário