Notícias Subterrâneas: Improvisando

Escrito por: | em 26/08/2013 | Adicionar Comentário |

Olá a todos. O Expresso Transubterrâneo chega à plataforma com mais uma edição das Notícias Subterrâneas, o informativo de lançamentos do Grifo Nosso. Com vocês, Lorde Worth, o anfitrião. E para a rodada da semana tive que conjurar alguns livros do futuro próximo, medida sem a qual não haveria post. Conseguem imaginar uma semana sem post? Imagino que seria uma visão apocalíptica. Ha-ha!

Aos novos leitores, deixo aqui o explicativo que repito de tempos em tempos. As Notícias Subterrâneas são listas de lançamentos que faço bissemanalmente, comentando alguns lançamentos de ficção especulativa (fantasia, terror, sci-fi, weird e afins). A lista não é completa e não necessariamente comenta os melhores livros do período, é só um apanhado que faço com base nas reviews que li e nas sinopses que me atraem. E sim, quase sempre só há livros americanos. Por que? Porque as editoras brasileiras são péssimas em estabelecer datas específicas. Ainda assim, quando tenho mais disposição para vasculhar a internet, alguns livros nacionais aparecem por aqui. No mais, todas as capas de livros são links para o amazon,  (*) indica um livro disponível no kindle, (**) é para kindle & kobo e (^) significa “também em audiobook”.

 

Agora, a nossa breve turnê pelos Reinos Subterrâneos da Literatura.

Começando com os fragmentários Reinos das Antologias. O Condado das Homenagens nos presenteia com Shadows of the New Sun**^(Bill Fawcett & J. E. Mooney), uma coletânea de contos em homenagem a Gene Wolf, autor do incomparável Book of the New Sun; também vemos, à distância,  Foreworld Saga: SideQuest Adventures*^, um apanhado de novellas sobre Foreworld, a saga da Mogolíada escrita por aquela horda de autores de sci-fi (Greg Bear, Neal Stephenson et cetera).

No mais egocêntrico Reino das Antologias Próprias (estou só brincando, autores de contos), chegaram recentemente Celestial Inventories (Steve Rasnic Tem) e Tell My Sorrows to the Stones (Christopher Golden), com contos de (guess who!) Steve Rasnic Tem e Christopher Golden (ah, que plot twist). As sinopses têm um pouco de cada conto contido nas antologias – se alguém aí gosta muito de contos, de uma olhada nelas.

Celestial InventoriesShadows of the New SunSidequest AdventuresTell My Sorrows to the Stones

Quanto a Bestsellers imediatos. O Império do New York Times anda promovendo aquela avalanche típica de obras pouca aventureiras, mas escolhi duas que me atraíram um pouco. Ghost Finders: Spirits From Beyond ** (Simon R. Green) dá sequência à série de caça-fantasmas já bem estabelecida, com o twist de agora querer se focar mais nos dilemas internos dos personagens. Meh.  Cainsville: Omens** (Kelley Armstrong) parece respirar ares mais limpos. Ou quase. É sobre uma patricinha que descobre ser adotada, com o twist de que seus pais biológicos são serial killers. Ela então parte para Silent Hill  Cainsville em busca de respostas sobre sua família e seu passado.

OmensSpirits From Beyond

Vindo de um antiquíssimo autor de sci-fi,  Transcendental **(James Gunn) é mais uma história de peregrinos isolados na vastidão do universo, contando suas histórias cheias de meias verdades sob o ar da traição…

– É tipo Canterbury Tales?

Ora, leitor, é isso que está na sinopse, mas garanto que não foi nisso que eu pensei à primeira vista. Não, eu pensei, e você talvez também, em Hyperion (Dan Simmons), que, longe de ser o único livro de sci-fi com essa pegada, é provavelmente o mais memorável. Mas Hyperion tem toda a sua analogia com Keats, além de um claro desfoque quanto a quem é o protagonista. Já Transcendental… Vejam bem, gosto muito desse modelo de narrativa de viagem e não pretendo ficar preso a “este não é igual ao meu livro favorito” na crítica dessa sinopse. Só que ela ainda assim parece… Fraco. E quando fui procurar críticas que dissessem o contrário, só encontrei coisas como “é anticlimático”. Bom, ahn, é o primeiro de uma série, saibam os céus que será feito das sequências.

Transcendental

Para terminar este breve relatório, há dois livros de estreia ligeiramente atraentes. Billy Moon** (Douglas Lain) é um romance histórico sobre os anos de revolucionário de Christopher Robin Milne, filho do autor de  Winnie the Pooh, A. A. Milne. Há uma obra autobiográfica bem grande de Christopher Milne, não creio que seja problema reunir dados para o livro… Mãs, há o realismo fantástico no meio disso. Ah, agora fico receoso. O cenário do livro é Paris em 1968, tratando das revoltas daquele ano em paralelo com as recentes; não sei ao certo como os elementos de realismo fantástico podem ficar coerentes com isso sem jogar para escanteio a quantidade de temas que já estão em campo. Não acho impossível, só difícil. É uma jogada ousada para um primeiro livro.

Por outro lado, The Bone Season ** (Samantha Shannon) recebe um “Alerta: Infanto-Juvenil” logo de cara. A sinopse é bacana, a campanha publicitária é pesada, mas todas as críticas trazem a ressalva:  o livro não é fraco, só simples, adequado para um público adolescente.

Billy MoonThe Bone Season

E assim, chegamos ao fim do trajeto. Foi rápido, não? Bom, a lista pré-corte era curta, após a seleção só poderia ficar ínfima.

Deixem suas críticas, análises, opiniões, insultos, piadinhas e qualquer outra manifestação de presença. Preciso tirar minha energia vital dos comentários.

Semana que vem, Lord of the Samples. Até lá.



Categorias: Diversos, Notícias Subterrâneas

Lorde Worth

Caçador de Hobbies exóticos, leitor obsessivo e jogador compulsivo.

Adicione um comentário