Notícias Subterrâneas: Nova Temporada

Escrito por: | em 14/08/2013 | Adicionar Comentário |

Saudações! Aqui vos escreve Lorde Worth, condutor do Expresso Transsubterrâneo, o mais tendencioso e irônico tour pelo mundo da literatura especulativa. Hoje, com um pequeno atraso, trago uma fantástica lista de lançamentos literários americanos, com toda a típica carga do bizarro, do clichê, do emocionante e do decepcionante. Todos a bordo, antes que me demore mais em minha verborragia.

Train-Fantasy-HD

1~13/08

Iniciando uma maravilhosa semana com o lançamento de Shadows of the Apt, livro 9: War Master’s Gate (Adrian Tchaikovsky). Sério mesmo? Céus, qual o problema de tantos autores que são incapazes de terminar uma  história? As críticas dificilmente seriam informativas neste caso: aqueles que não gostam da série não chegariam ao nono livro, e aqueles que gostam inevitavelmente tendem a não reparar nas falhas mais aparentes. Claro, não estou em posição de reclamar dos outros: já defendi Malazan Book of the FallenWheel of Time Stormlight Archive por aqui. Será esse um prazer masoquista dos leitores de fantasia? Será que todo amante de épicos fica muito, MUITO, feliz em ver que vai ter que ler mais de 11ooo páginas para chegar ao fim de uma saga?

Talvez haja alguns leitores que serão tomados por um ímpeto lunático ao ver que há oito livros anteriores de Shadows of the Apt. Percebo que não informei os incautos sobre o teor do livro. Em suma, homens insetos, ídolos de deuses helênico-egípcios, lutas épicas, ilustrações legais. Ouço falar muito sobre, mas ainda não cheguei perto do primeiro livro.

War Master's Gate

Por outro lado… Broken Empire, livro 3, Emperor of Thorns** (Mark Lawrence), está entre nós. Li pelo menos 50 páginas de Prince of Thorns = já posso afetar algum embasamento em meus comentários. Prince ganhou há dois anos alguns prêmios como melhor livro de estréia, algo que chamou minha atenção. Em linhas gerais, é a saga de um príncipe exilado para reassumir seu trono por meio de violência desenfreada, crueldade e manipulação, e depois manter seu poder, chegando até mesmo a expandi-lo. No primeiro livro, pelo menos, a linguagem é concisa e simples, a narrativa é cativante de uma forma mórbida e o clima é sinistro com todas as ressalvas que se faz a um livro infanto-juvenil. Quero levar adiante a leitura… algum dia. Recomendo que aqueles carentes de uma leitura para banheiro baixem a sample para seus e-readers/tablets/smartphones/laptops/impressoras/prensas.

Emperor of Thorns

Ryria Chornicles, livro 3: The Crown Tower ** (Michael J. Sullivan)! Aaaaaaaaaaaaah, que decepção. Fiz uma tremenda propaganda do Michael J. Sullivan no passado, comprei o primeiro omnibus de Ryria Revelations e só li o primeiro livro dele. Theft of Swords está há tanto tempo me encarando na estante que até já saiu uma edição em português. Shame on me. Mas é ótimo, recomendo! Pelo que captei, a pegada de Ryria Chornicles é a mesma de Revelations: fantasia clássica, descompromissada, bem humorada e bem escrita. Hadrian Blackwater e Royce Melborn são nossos protagonistas, dois ladrões com uma dinâmica de dupla remanescente de velhos seriados policiais, espremidos entre contratos perigosos e conspirações políticas.

The Crown Tower

Temeraire, livro 8, Blood of Tyrants**^ (Naomi Novik), daria mais o que falar caso eu tivesse tempo suficiente para ler todas as grandes sagas de mais de cinco livros a vagar pelas terras da fantasia épica. Eu poderia chamar essa área dos Reinos Subterrâneos de Condado do Epicismo, que tal? Enfim, tudo no Condado do Epicismo é gigante, e tudo que é adorado, bem criticado e importante nesse cenário específico, engloba mais de duas mil páginas. Temeraire é uma série que teoricamente fez uma proeza nada pequena: reinventou os livros baseados em dragões, ao lado de Havemercy. Eu gostaria de ao menos ler o primeiro livro para entender melhor todo o barulho que Temeraire faz por aí. Por enquanto, infelizmente restrinjo-me a repetir o que todos me dizem, em uma singela equação:

(Dragões + Guerras Napoleônicas) X Competência Estilística – Clichês = Clássico Épico Instantâneo

Blood of Tyrants

Para os próximos já não tenho tanta informação.

The Merlin Prophecy, livro 3, Hunting with Gods ** (M. K. Hume), é a conclusão de uma trilogia de fantasias históricas sobre Merlin. O crédito que tem é uma pilha de elogios à precisão histórica unida à criatividade impressionante dentro dos limites da lenda do mago. Já The Ill-Made Knight** (Christian Cameron) recebe o perdão pelo crime de ter o mesmo título de um livro sobre Sir Lancelot; este é, por sua vez, uma ficção histórica sobre a verdadeira cavalaria medieval, com uma sinopse simpática e atraente.

Hunting with GodsThe Ill-Made Knight

Magic Ex Libris, livro 2, Codex Born**^ (Jim C. Hines), não parece realmente bom. Parece péssimo, na verdade. Sendo ainda mais sincero, eu quase tirei da lista. Mas a ideia base ainda parece interessante, e não descartarei uma boa ideia só por não ter gostado das sinopses ou das críticas. Sendo bem sucinto, Gutenberg criou um sistema de magia para tornar reais figuras da literatura e séculos depois uma guerra é travada entre organizações secretas por essa habilidade.

The Extras, livro 2: Assault on Sunrise **^ (Michael Shea)… Hm, série sobre sobreviventes de filmes de desastre com monstros gigantes… num mundo distópico em que as mortes dos figurantes não são efeitos especiais. Parece… esquisito e que muito facilmente ficaria um lixo? Não encontrei reviews muito confiáveis ainda.

The Sensory Deception *^(Ransom Stephens) é uma daquelas iniciativas ecológicas que tentam fazer militância literária com ficção científica. Ok, agora vou deixar o estereótipo de lado e dizer que parece bom. O enredo tem como elemento chave uma máquina que permite ao usuário simular os sentidos de um animal ameaçado de extinção. Bacana, simpático, politicamente correto, chato. Mas a indústria do entretenimento decide usar isso para filmes ultrarrealistas de ação e video-games descerebrados altamente imersivos. Ora, corrupção humana! Tudo acaba de se tornar mais interessante. Caso a narrativa não caia no maniqueísmo mais simplista, creio que o resultado final será bom, tanto como livro de sci-fi quanto como iniciativa conscientizadora.

E temos um segundo infanto-juvenil: The Beauchamp Family, livro 3, Winds of Salem ^(Melissa de la Cruz). É uma série sobre uma família de bruxas modernas tentando resgatar uma das suas que foi enviada de volta à caça às bruxas em Salem.

Ahn, a autora tem algumas dessas séries sobre vampiros, deuses modernos e semi-humanos adolescentes correndo por aí. Sem mais comentários.

Assault on SunriseCodex Born The Sensory Deception Winds of Salem

E, assim, nossa jornada chega ao fim. Antes de seguirem adiante, deixem seus comentários, sugestões, críticas, piadinhas e links de autopromoção nos comments. Odeio como o espaço de comentários permanece deserto há meses.

Fora isso, sigo adiante. Em alguns dias teremos Lord of the Samples por aqui, e espero a presença de todos.

Até lá.



Categorias: Notícias Subterrâneas

Lorde Worth

Caçador de Hobbies exóticos, leitor obsessivo e jogador compulsivo.

Adicione um comentário