Notícias Subterrâneas: A Vingança da Lista de Lançamentos

Escrito por: | em 26/03/2014 | Adicionar Comentário |

Reclamei no último post da falta de livros… Os deuses editoriais ouviram meu lamento e agora estou com problemas – a lista original estava bem grande…

Senhoras e senhores: Notícias Subterrâneas, seu periódico informativo para o mundo da ficção especulativa! Subam a bordo do Transsubterrâneo, nosso trem conceitual em jornada pelos confins dos Reinos Subterrâneos da literatura. Veremos novos livros vindo direto do forno, recordaremos séries queridas agrupadas em charmosos omnibuses (que plural bizarro), especularemos sobre antologias… E eu insultarei os elfos por todo o percurso.

The Time Traveler's Almanac

Começando com uma bomba. The Time Traveler’s Almanac** é a nova antologia dos Vandermeer, agora falando sobre viagens no tempo. É dos Vandermeer, ponto. Todo o indicativo de qualidade de que preciso. Sempre que os Vandermeer compõem algo é uma bomba: a qualidade dos contos é fantástica, o nível dos participantes assombroso e a organização sublime. Para quem desconhece os trabalhos anteriores deles, confira The Weird.

Liberty 1784Words of RadianceWorking God's Mischief

  Partindo aos lançamentos de romances propriamente ditos, quero começar falando de um ato falho: The Fell Sword (Miles Cameron) saiu há algum tempo, mas na minha lista só sairia agora no começo de março. É a sequência de The Red Knight, esperem que seja violenta, agressiva aos seus nervos e escatológica – simplesmente sublime.

Seguindo adiante, Words of Radiance**^ (Brandon Sanderson) está entre nós, mas já falei demais sobre isso no último Lord of the Samples.

 Robert Conroy (Himmler’s War, Rising Sun) lançou mais uma uchronia, Liberty: 1784**, agora sobre a segunda guerra de independência dos EUA (o que mais esperaríamos dele?). Gosto de ao menos citar os trabalhos do Conroy, meu segundo ou terceiro post no Grifo falava de Himmler’s War.

E o Glen Cook continua por aí. Ele usou The Black Company à exaustão, finalmente concluiu Dread Empire… O que mais fazer? Lançar um quarto livro para Instrumentalities of the Night, claro. Assim Working God’s Mischief**^ chega até nós. Parece bom: as críticas são bem mais favoráveis a Instrumentalities do que eram a Dread Empire. De qualquer forma, é do Glen Cook, meu senso crítico fica abalado quando falamos sobre os livros dele.

The Tropic of Serpents The PilgrimsThe Weirdness

Apesar do meu desgosto com genéricos, e principalmente dragões, os leitores mais antigos devem se lembrar de muitas situações em que falei de livros focados em twists com elementos clássicos da fantasia. Senhores, reitero que não tenho nada contra os dragões em si, mas sim contra a maioria dos livros focados neles – que são uma porcaria só. Respeito autores como Naomi Novik e Steven Erikson, que conseguem escrever algo criativo e interessante que inclua dragões (e gosto de Havemercy!). Por isso estou anunciando aqui The Tropic of Serpents**^ (Marie Brennan), sequência de A Natural History of Dragons, uma obra curiosa sobre uma naturalista escrevendo sobre dragões na Era Vitoriana (ou um equivalente fantástico).

– Dragões Steampunk de novo, senhor Worth?

Não! É justamente por isso que estou falando de Tropic of Serpents: é um livro de fantasia científica em um mundo distinto do nosso e que não coloca o steampunk no centro da história (não que ele não esteja lá, pelo que dizem as críticas do livro anterior). Além disso, os personagens parecem interessantes (uma vez ao ano isso tem que acontecer, não?). Mas deixemos os detalhes para depois, no próximo Lord of the Samples falarei de A Natural History of Dragons.

Seguindo adiante, The Pilgrims* (Will Elliott) está aqui porque tem uma capa bonita. Não, é isso mesmo. Eu li as críticas muito positivas, mas não consegui encontrar na sinopse algo… relevante? Na dúvida, julguei pela capa. Will Elliott é um novo autor que conseguiu muita atenção com seu livro anterior, o romance de estréia The Pilo Family Circus (um título tremendamente legal, diga-se de passagem). E The Pilo Family Circus tem uma sinopse interessante de só dois parágrafos. Já The Pilgrims… É o começo de uma trilogia, tem uma cara escrachada de fantasia épica -com um dragão-deus anunciado na sinopse – e parte do princípio de subverter as convenções dos romances de mundo alternativo. Parece-me que o senhor Elliott está fazendo um tremendo esforço para aproveitar o holofote que seu primeiro livro lhe rendeu e fazer algo memorável.

Devo confessar que sinto alguma antipatia por um livro que surge com essa intenção implícita. Até que ponto ele pode realmente ir contra as convenções do gênero? Não tão longe, se quer agradar o público geral e parecer marcante. Claro que posso estar errado, isso pode ser outro Mistborn. As críticas apontam uma direção positiva para a série, mas minha primeira impressão continua negativa.

Ah, sim, quase me esqueço. The Weirdness**  (Jeremy P. Bushnell) tem a sinopse mais estranha (really?) do mês.  Independente da qualidade do livro, a sinopse está muito charmosa. Espero que seja um livro de humor baixo, lotado de cultura pop e tiradinhas com a internet de hoje, e que será péssimo se lido fora de seu contexto. Por outro lado, nos dias de hoje, vivendo o contexto dele, deve ser uma leitura mais do que divertida e agradável. Pretendo conferir a sample de The Weirdness em breve.

Immortal MuseBlack Moon

 

Por fim, dois livros que quaaaaaaaaase saíram da lista. O primeiro deles, Immortal Muse** (Stephen Leigh), me lembra, de imediato, de O Inverno das Fadas, da Carolina Munhóz. É sobre duas musas imortais atravessando os séculos e… Bom, não há muito mais o que falar sobre.

Black Moon**^(Kenneth Calhoun) é um romance de estréia com uma capa bonita e uma proposta de ser psicologicamente denso. O enredo é sobre um mundo em que todos se tornaram insones; é sobre a loucura causada pela exaustão; é sobre sonhos; é sobre muitas pessoas lidando com isso de formas diferentes. A proposta é boa, mas a quantidade de erros que podem ser cometidos ao longo do caminho só para que tudo fique mais comercial é muito grande. É o tipo de coisa que se espera de um romance de estréia, afinal. A narrativa provavelmente será um pouco imatura, os romances um pouco artificiais e os diálogos bem travados. Normal, relevamos isso tudo quando lemos um primeiro romance com uma sinopse que começa com “para os fãs de…”.

E assim termina nossa jornada da quinzena. Mal consigo acreditar que reduzi os 27 livros da segunda lista a só estes – ufa.

Em breve, voltarei com um novo Lord of the Samples: até lá!




Categorias: Notícias Subterrâneas

Lorde Worth

Caçador de Hobbies exóticos, leitor obsessivo e jogador compulsivo.

Comentário sobre Notícias Subterrâneas: A Vingança da Lista de Lançamentos

  1. Ronaldo Cavalcante

    RESSUSCITEEEEEEEI!!!!!
    Sério… estava preso em um lugar escuro e úmido e não conseguia sair de lá enquanto meu corpo aqui fora era sustentando por máquinas…..
    Como anda, senhor Worth?? Quantas preciosidades eu perdi???

    Nossa, estou a tanto tempo fora que até os dragões começaram a ganhar um espaço nesse coração #DragonHater?

    Aff… eu volto à vida e me deparo com uma antologia no começo do post, lamentável.

    Sobre s três livros depois da odiosa antologia… impressão minha ou os personagens estão com a MESMA POSE??? Até pensei que vc ia sacanear isso, sr. Worth!!

    Estou lendo A Companhia Negra por indicação sua.. comprei antes de entrar em meu estado comatoso, porém fantástico, e estou desfrutando agora.

    The Pilgrins parece muito promissor… gostei!!!!

    Onde estão os elfos insultados???

    Ótimo estar de volta. Grande abraço!

Adicione um comentário