Lord of the Samples: Unwrapped Sky (Rjurik Davidson)

Escrito por: | em 02/06/2014 | Adicionar Comentário |

Unwrapped Sky

Saudações! Hoje estou mais pontual, muito animado para falar de uma sample que foi… intrigante. Senhoras e Senhores, com vocês: Lord of the Samples, nossa coluna de crítica de prévias de ebooks! Nosso prato do dia: Unwrapped Sky, romance de estréia de Rjurik Davidson, um livro sobre minotauros e… algumas outras… coisas… nebulosas.

Aproveitando que semana passada já critiquei romances de estréia como um todo, decidi escolher um que superasse minha expectativa fatalista. Como escolhi este? Simplesmente li a sinopse e vi “New Weird” no fim. Ora, posso criticar o quanto quiser alguns vícios do New Weird, no fim vou reiterar que os autores da escola (sim, digo “escola”, não “gênero”) costumam ter um domínio impressionante de técnica e estilo.Talvez esteja me adiantando, mas preciso anotar esta opinião logo: o livro parece ser bom, a sinopse foi legal, contudo… não senti tanto do clima do New Weird nele… Ao menos não tanto quanto senti do clima de Mistborn.

New Weird? Fantasia épica? Lembram-se de Six-Gun Tarot? Vamos à sinopse.

Caeli-Amur é uma cidade costeira em um mundo em que a tecnologia aos poucos suplanta a magia. Uma metrópole se industrializando, cheia de miseráveis, trabalhadores soturnos, assassinos-filósofos e Casas nobres em guerra.

– É Steampunk?

Não! É… Luthadel? Bom, é a cidade que você esperaria ver numa boa fantasia épica dos últimos dez anos. Cito Mistborn e não, digamos, Lies of Locke Lamora porque – céus! – os assassinos-filósofos têm uma cara incrível de mistborns (“Então, Kata tirou seu pequeno frasco de X do bolso e entornou seu conteúdo”, “Kata sacou suas duas facas longas e arremeteu contra o minotauro”). Ah, e há minotauros. Muitos. E uma cidade submersa na baía. E deuses. E… Mais, com certeza. Boa parte do interesse que tenho pelo resto do livro é ver até onde ele vai na construção do cenário. Por certo, o primeiro capítulo foi uma grande vitrine para a cidade. (Waking Engine, é assim que se mostra uma cidade fantástica no primeiro capítulo). Na verdade, é tão comum que os autores de fantasia não saibam apresentar suas cidades magníficas que o planejamento de Davidson me surpreendeu só por começar a se mostrar competente. No fim da sample, foi um trabalho realmente bem feito.

Entretanto, todo esse destaque para a cidade deixa os personagens um pouco apagados. O que é até curioso neste caso:  o enredo não fica parado enquanto as descrições acontecem, mas ainda parece cair para segundo plano. Prefiro não dar muitos spoilers do começo aqui, foi uma leitura bem instigante, então direi só que “Kata é uma assassina-filósofo contratada para matar dois minotauros durante a passagem de um grupo deles pela cidade”. Para onde vai a história a partir daí? Não sei.  Sinceramente, não sei. Na sinopse falam de mais dois protagonistas, mas não há sinal deles na sample.

O que acrescentar… É bem escrito, é bem pensado, é um começo muito bom para um romance de estréia promissor. Não sei se é mais New Weird ou fantasia épica – também não me importo. Gostei do que li, pretendo comprar o ebook no futuro próximo. Mais importante: só como sample já é uma boa leitura.

Ganha meu Selo de Recomendação.

Fico por aqui, preparando o post da próxima semana (há tempos não escrevo um para as Notícias). Antes de seguirem seus caminhos, novos e velhos leitores, deixem seus comentários (gosto de comentários, tiro minha energia vital deles).

E até a próxima semana!




Categorias: Review: Primeiras Páginas
Tags: , , , , , ,

Lorde Worth

Caçador de Hobbies exóticos, leitor obsessivo e jogador compulsivo.

2 Comentários sobre Lord of the Samples: Unwrapped Sky (Rjurik Davidson)

  1. felipe lima ferreira

    Bonita a capa , mas e uun tipo de tema q nao me cativa. Eae qual sera o tema do podcast?

  2. Augusto

    Faz tempo que não publicam nada novo! Estou sempre acessando o site aqui. :(

Adicione um comentário