Moby Dick ou A Baleia

Escrito por: | em 22/02/2016 | Adicionar Comentário |

 

Estivemos parados, estivemos improdutivos em relação ao Grifo. Mas eu venho até vocês lhe prometer que teremos muitas publicações no futuro, pelo menos enquanto eu aguentar dispara-las várias vezes por semana. Então segurem suas tiaras e cartolas, madames e cavalheiros, porque vamos ter uma viagem vertiginosa, literariamente falando.

Que livro melhor para começar nossa nova onda de resenhas que Moby Dick, um dos meus livros prediletos?

IMG_20160221_142246569

Moby Dick, ou A Baleia, foi escrito por Herman Melville e publicado originalmente em 1851. Ele foi inspirado pelo naufrágio do navio Essex, comandado pelo capitão George Pollard quando este foi atingido por uma baleia e afundou. O livro também é baseado nas experiências do próprio autor, que viajou em uma expedição baleeira e também encontrou pessoalmente tribos canibais.

De forma geral o livro narra a expedição do Pequod, um navio baleeiro comandado pelo Capitão Ahab, que parte de Nantucket, uma cidade em Massachusetts, na costa leste dos Estados Unidos. O livro é narrado por Ismael, um novo membro na expedição do navio, o por seus olhos vemos a história e por sua experiência aprendemos sobre o mar e a caça às baleias. E de Ismael vem a frase que inicia o livro, uma das mais célebres da literatura: “Pode me chamar de Ismael”.

O ponto crucial do enredo do livro é logicamente Moby Dick, uma enorme baleia cachalote branca que atacou a tripulação de Ahab em uma expedição anterior e o fez perder uma perna, e agora, coxeando em sua perna de marfim, Ahab é consumido pela ideia de vingança contra a baleia, e isso é o que o propele, o que o faz avançar sempre, e logo no início da expedição já o faz, pregando uma moeda de ouro no mastro e a prometendo para o primeiro que avistar a baleia branca.

Ele é um livro simples, sem metáforas nem nada, segundo nosso amigo Ron Swanson aqui:

Brincadeira. O livro é complexo, e muito se fala sobre o significado dele. O que representa Moby Dick? O Que representa a obsessão de Ahab em matar a baleia? Isso fica para especulação, pois existem muitas interpretações para a metáfora contida na história e não serei eu a “desvendar” o mistério. Talvez não haja mistério, e na verdade sejamos nós que projetamos o que queremos projetar na história louca de Ahab contra a baleia.

Moby Dick é um livro denso, que mistura procedimentos e a rotina dos homens do mar, assim como as minúcias da profissão de baleeiro. Ele tem citações bíblicas, jargões náuticos, retórica, exposição técnica e uma infinidade de outras coisas, mas ao invés de parecer confuso e um livro que não sabe o que quer ser, ele aparece no final coeso, e com uma construção que faz sentido, te levando ao final um tanto quanto inevitável da história.

E no final você sai com a sensação de que leu algo grandioso, e é difícil exprimir a sensação de ser transportado para os navios balouçantes, em tempestades e caças ferrenhas, vendo maravilhas do oceano sobre a amurada. Esta foi a impressão que ficou para mim pelo menos.

Eu acredito que Moby Dick seja uma leitura obrigatória para amantes de literatura clássica, assim como um livro fundamental da literatura na língua inglesa.

Eu dou dez baleias de nota para Moby Dick.

Edição que eu li: Editora Landmark, 2012. Tradução de Vera Silvia Camargo Guarnieri.




Categorias: Clássicos da Literatura, Resenha, Review
Tags: , , , ,

Gustavo Domingues

Leitor inveterado e crítico mal humorado, pretende criticar todos os autores até alienar a literatura para sempre!

Adicione um comentário