Cinema: A Perseguição

Escrito por: | em 18/10/2017 | Adicionar Comentário |

“Mais uma vez na briga. Na última boa batalha que eu jamais conhecerei. Viver e morrer neste dia. Viver e morrer neste dia.”

John Ottway é um caçador que trabalha em uma refinaria de petróleo no Alasca. Seu dever é impedir que a vida selvagem seja uma real ameaça contra os funcionários (em sua maioria desajustados, ex criminosos e encrenqueiros que não conseguem viver em sociedade). Após semanas de trabalho, ao voltar para a civilização, o avião que os transportava cai em território selvagem, e além de terem de sobreviver aos ferimentos da queda, frio e fome, John e outros sobreviventes se veem caçados por implacáveis lobos.

A Perseguição (The Grey, 2012) tem em sua essência, mais do que a história de sobrevivência retratada pela situação em que os personagens se encontram. Gosto de pensar que o filme todo não está apenas na questão “como sobreviver?”, mas sim na real pergunta “por que sobreviver?”.

Os poucos homens que sobreviveram ao acidente do avião, aos poucos vão mostrando suas reais intenções. Alguns desejam voltar para seus filhos, outros se apegam à fé, ao desejo de aproveitar a vida, ou simplesmente de continuar vivendo como por provocação à situação que a natureza lhes proporcionou naquele momento. Ottway, o protagonista, parece não ter razão para viver desde o falecimento de sua esposa (que constantemente aparece deitada ao seu lado em sonhos e alucinações), porém, cabe ao caçador definir se abandonará sua chance de viver, ou se lutará por ela.

Outro mérito a ser destacado do filme, são as interações e escolhas. Desde o momento da queda do avião, os sobreviventes são colocados a prova como seres humanos, tendo de tomar decisões que refletem a respeito da dignidade, da sobrevivência, e principalmente de seus medos mais profundos. Uma das cenas que mais me impressiona, mostra um funcionário nos destroços do avião, sangrando, cercado de seus companheiros desesperados, quando Ottway é chamado para ajudar. O protagonista se aproxima do homem sangrando e calmamente diz “Você vai morrer. É isso que está acontecendo.”. O mais assustador é ver que o homem aos poucos aceita a própria morte enquanto pensa nas pessoas que ama, mas aqueles ao seu redor parecem muito mais assustados.

Porém, o medo nesse filme possui uma forma física para se apresentar

Os lobos nesse filme são mais do que animais, são a representação da vida tentando eliminar aqueles menos aptos a sobreviver, um por um. Procurando pelo filme, você verá inúmeros artigos dizendo que “lobos de verdade não atacam dessa forma”, mas isso não importa. Os lobos são dificuldades caçando nosso protagonista e seus  companheiros. E assim fazem, em meio a efeitos sonoros de uivos que dão um profundo arrepio na espinha.

Para que não pareça que apenas assisti ao filme “tentando ver as metáforas e a arte por trás”, devo dizer que as cenas de combates e caçadas entre humanos e lobos são de uma tensão inacreditável, as técnicas de sobrevivência refletem o conhecimento de anos do caçador que protagoniza a história, e os instrumentos que eles usam para se defender são de uma criatividade digna de programas do Discovery Channel.

Vou falar sobre atuação? Não! Eu não poderia fazer isso, principalmente porque Ottway é interpretado por Liam Neeson. Se ele está no filme, eu provavelmente vou gostar sem julgamentos.

A Perseguição é um filme que me acompanha desde 2012 porque me faz pensar se faço o certo pelas razões certas, mas também porque é sempre muito legal ver um filme de sobrevivência que não tenha personagens rasos, motivações inexistentes e dramas sem importância.

Esse é mais do que um filme com Liam Neeson amarrando uma faca na mão e frascos quebrados na outra para enfrentar um lobo frente a frente, é um filme definidor de caráter que todos deveriam ver e pensar “Eu conseguiria?”.

 




Categorias: Cinema, Review
Tags: , , ,

vinicius

"Sou os diálogos do Tarantino, a ação de Ridley Scott, a magia de Spillberg, as explicações de Nolan e a pose cool de Guy Ritche."

Adicione um comentário