Explicando Séries de Fantasia com um Passeio de Carro.

Escrito por: | em 16/11/2017 | Adicionar Comentário |

Inspirado por uma comparação engraçada que vi entre As Crônicas de Gelo e Fogo e o Livro Malazano dos Caídos usando metáforas de um passeio de carro, eu criei este post, onde reproduzo a parte dos livros citados e adiciono as demais.

As Crônicas de Gelo e Fogo: Todo mundo diz que você tem que ver o carro novo do seu amigo. Ele aparece para te mostrar e te chama para dar uma volta na vizinhança. Você entra em no carro e ele começa a dirigir por uma vizinhança pacata enquanto fala sobre as famílias que vivem lá, ele fala sobre suas relações e seus conflitos e você fica admirado com tanta coisa acontecendo. Você se envolve na dinâmica das famílias. Ele diz que tem algo importante para te dizer, ele está falando bastante, por horas, parece que o assunto importante não vai chegar nunca. O carro para e seu amigo revela que foi envenenado. Ele cai morto sobre o volante. Você grita, mas ninguém te ouve.

 

A Saga do Assassino: Um amigo seu te chama para conversar. Você entra no carro dele, você vê seus olhos vermelhos e irritados, o rosto cheio de hematomas. Ele te conta que os pais dele morreram em um acidente, e depois a esposa dele teve um aborto espontâneo de tanto bater nele. O Cachorro e o gato dele também morreram, mas não sem antes se despedirem de forma emocionante. Ele também foi demitido, e está sendo processado pela empresa em que trabalhava. Tudo foi culpa direta ou indireta dele. Ele diz que é uma pessoa melhor por isso tudo ter acontecido. Você admira sua história, mas definitivamente não gostaria de ser ele.

 

 

Roda do Tempo: Você entra no carro com um velho amigo, ele conta uma longa história enquanto vocês dirigem até um parque de diversões. Vocês se divertem e depois pegam o carro novamente e atravessam a cidade por muito tempo até chegar em uma churrascaria excelente onde comem tudo que podem, depois pegam o carro novamente e atravessam a cidade até chegar a uma festa, vocês bebem muito e você está exausto, mas seu amigo tem ainda muitos passeios em mente. Lá pelo décimo passeio as coisas degringolaram, uma exposição de arte onde uma mulher gritava coisas desconexas em um microfone. Depois disso as coisas acalmam e vocês tomam uma cerveja em um pub, você está exausto e com fome novamente, dorme rapidamente no balcão, acorda e acha um bilhete, seu amigo teve de ir embora, mas outra pessoa virá te buscar. Você sai faminto do pub, um jovem para com um carro e diz que veio te buscar. Ele te leva para tomar um bom café da manhã antes de te deixar em casa. Você dorme exausto e satisfeito, mas triste porque não pode terminar o passeio com seu velho amigo, e nem poderá mais.

A Primeira Lei: Você entra em um carro com um amigo, ele dirige até uma vizinhança perigosa, ele mostra para você que está armado, você fica nervoso. Seu amigo diz que vocês estão esperando outras pessoas se juntarem a vocês para continuar, você pergunta o que vocês vão fazer, ele não responde, diz que você tem que esperar. Depois de muito tempo chegam mais três pessoas, um deles manca. Repentinamente todos correm para um beco e te arrastam juntos, atirando em um grupo de pessoas no beco e berrando no caminho. Você está com a adrenalina alta quando chegam do outro lado. Curiosamente o manco correu melhor que todo mundo.

 

Trilogia dos Espinhos: Você entra em um carro com um amigo. Ele dirige pela vizinhança. Ele tem doze anos e você acha estranho que esteja levando uma criança a sério e que todos deixem que ele dirija mesmo que mal veja acima do volante. Seu amigo começa a contar sobre como ele bate em crianças da escola, e que ele faz isso porque os pais dele não o amam, ele diz que é o que adultos fazem. Ele bebe uma mistura de red bull, red label e whey protein, ele grita o tempo inteiro que isso é coisa de adulto. Seu amigo sobe na calçada e atropela as pessoas em um ponto de ônibus enquanto gargalha, ele pergunta se não é isso que você gostaria de fazer, ele grita que isso é maduro demais para você entender.

 


Crônicas do Matador do Rei: Você entra em um carro com um amigo. Ele te cumprimenta e começa a conversar com você. Ele começa a te contar uma história de antigamente, sobre as peripécias dele, envolvendo como ele domina tudo que faz e consegue tudo que quer. Você se envolve na história, seu amigo é um ótimo narrador, ele canta, declama ou gesticula quando é necessário. Mas sua história interessante para repentinamente, ele jura  que já vai lembrar o fim, espere só mais um pouco. Você percebe que o carro nunca saiu do lugar.

 

Livro Malazano dos Caídos: Você sente água bater no seu rosto e acorda violentamente. Você está sentado no banco do passageiro de um carro em disparada por uma avenida. O motorista está gritando com você em uma língua que você não entende, talvez ele tenha falado algo sobre uma bomba. Quando você vai responder, um caminhão bate em alta velocidade na lateral do carro em que você está, o carro capota. Saindo engatinhando do carro e mal estando consciente você vê um grupo de agentes especiais armados até os dentes, um deles te dá um celular e diz para você atender, uma voz do outro lado fala “Aqui é o presidente! Você precisa – “ você não ouve o resto, o motorista está atirando nos agentes especiais com uma metralhadora. Você corre cambaleante do tiroteio, um helicóptero de combate aparece e devasta o cenário com mísseis e metralhadoras giratórias. Você corre trôpego quando um sedã preto para e um amigo seu, ao volante, manda você entrar no carro. Você entra e o sedã corre, enquanto você grita “Para onde vai essa estrada?” e ele responde “Estrada? Para onde vamos não precisamos de estradas”. O carro vira uma nave espacial.




Categorias: Diversos

Gustavo Domingues

Leitor inveterado e crítico mal humorado, pretende criticar todos os autores até alienar a literatura para sempre!

Adicione um comentário