A importância do seu primeiro livro

Escrito por: | em 15/07/2011 | Adicionar Comentário |

Estes dias eu estava dando uma passeio rápido pela Livraria Cultura quando encontrei uma mãe procurando recomendações de livros para a sua filha (que devia ter uns 9 ou 10 anos) e é claro que eu, que adoro literatura infanto-juvenil, tinha uma lista de livros para recomendar para ela. Mas o que achei mais legal é que a mãe estava procurando livros de aventura, ilustrados, etc.

Não sei se o gosto pela leitura é algo que depende inteiramente de “aprendizado” ou se tem uma parcela de predisposição “natural”, mas eu realmente acho que as primeiras experiências que uma criança tem com a leitura podem fazer a diferença para transformá-la em um adulto que gosta de ler.

Capa do livro "A ilha perdida"

O primeiro livro que eu li foi a pedido da escola, era um livro da clássica “Coleção Vaga-Lume”, intitulado “A Ilha Perdida” eu demorei a ler, porque não tinha o hábito, mas gostei e me lembro dele até hoje.

Acho que minhas professoras me fizeram grandes favores, porque ainda me lembro da maioria dos livros que li para a escola: “Tristana – A maior gota d’agua do mundo” (que foi o primeiro livro que eu mais de uma vez), “Que sexta feira mais pirada”, “O Fantasma da meia noite”, “A Droga do amor”, “O fantástico mistério de feiurinha”.

Lembro-me de ter lido e gostado de todos esses livros, e, no meio tempo, de ter procurado outras coisas para ler, na esperança de encontrar a mesma diversão que as leituras anteriores tinham me proporcionado (entre eles o ótimo “A Marca de uma lágrima” do Pedro Bandeira, cujo poema que dá nome ao livro eu sei de cor até hoje).

Mas também melembro de um grande fracasso, quando a professora me pediu para ler Lucíola de José de Alencar, que me traumatizou para sempre em relação ao “Clássicos da Literatura Brasileira” que eu só voltei a ler, anos depois, para o vestibular. A essa altura eu já estava lendo livros de 400 a 500 páginas, mas aquele livrinho de menos de 200 foi um sofrimento do começo ao fim. Fico pensando que se eu já não tivesse pegado o gosto pela leitura muito antes, eu certamente teria chegado à fatal conclusão de que não gostava de ler.

Capa da coleção "Literatura Brasileira em quadrinhos"

Será que ficaria mais fácil ler os "Clássicos da Literatura" em quadrinhos?

Estou contando todo esse blá, blá, blá porque acho que embora algumas pessoas talvez tenham uma espécie de “predisposição natural para não gostar de ler”, existem muitas outras que simplesmente são traumatizadas por leituras enfadonhas e desinteressantes.

Então, se alguem me perguntasse: “Como fazer uma criança gostar de ler?“, eu diria que, para mim, o primeiro passo é escolher com muito carinho o seu “primeiro livro”, essa primeira experiência provavelmente fará em como ela vê a leitura.

Capa do livro "A Marca de uma lágrima" de Pedro Bandeira

Acredito que as melhores escolhas são livros de narração simples e rápida, que não enrolem demais em situações estáticas ou descrições, e que mantenham o ritmo de acontecimentos de forma que a criança não acabe por perder o interesse. Não da para saber nada disso olhando a capa do livro, então acho que o ideal é que os adultos já tenham lido o livro e saibam vê-lo com esse olhar mais “infantil” para conseguir ter uma idéia de quão interessante aquela leitura poderá ser para a criança.

Vale lembrar que você pode até ter achado que um determinado livro foi o melhor da sua vida, mas isso não adianta de nada se ele não for adequado para o interesse e a “maturidade” da pessoa para quem você o está indicando. Por isso mesmo a lista de recomendações que farei a seguir não é uma “aposta certa”, cada pessoa tem uma linha de interesses de acordo com a sua personalidade e é preciso levar isso em consideração na hora de escolher (os livros não estão em nenhuma ordem específica):

O Mágico de Oz“, de Lyman Frank Baum – Achei esse livro muito bom para uma primeira leitura: é objetivo, é dinâmico, fala de amizade, superar obstáculos, ter tudo que você precisa dentro de si mesmo, etc. Dos livros que eu recomendarei, se eu tivesse que apontar o que eu acho que deve se adequar à maioria das crianças, escolheria esse. (veja o review aqui)

Capa do livro "Peter Pan" de J.M. BarriePeter Pan“, de J. M. Barrie – Além de ser um clássico, o também é um livro simples e gostoso de ler, recomendo uma edição ilustrada, como a da Salamandra. Mas acho que o livro não é tão rápido, então pode não ser muito recomendado para crianças muito inquietas.

Coraline“, de Neil Gaiman – Acho que o livro tem um ótimo enredo, é rápido, simples, ilustrado e fácil de ler. O fato de ser uma história possivelmente assustadora pode ser um benefício ou um problema, dependendo da personalidade da criança. (veja o review aqui)

As Crônicas de Narnia – O sobrinho do mago” de C.S.Lewis – A série Narnia definitivamente está entre os livros que eu recomendo para primeiras leituras. Mas um livro com aquelas características que eu considero fundamentais: objetivo e sem enrolação, com uma temática bem fantástica.

Capa do livro "Desventuras em série - mau começo"Desventuras em série – Mau Começo“, de Lemony Snicket – Estou fazendo a recomendação como livro individual, porque a série é bastante grande mas cada livro tem uma trama própria. Foi um livro que li “numa sentada”, então acho que posso dizer que é um livro rápido e com uma trama bem desenvolvida. Diferente das opções que dei até agora é um livro que não tem nada de “mágico”, então não seria minha primeira opção para crianças com uma imaginação borbulhante

Como treinar o seu dragão“, de Cressida Cowel – Esse livro é um livro de aventura, absolutamente rápido e ilustrado. Tenho a impressão que ele deve ser particularmente interessante para garotos. (veja o review aqui)

A Marca de uma lágrima“, de Pedro Bandeira – Para ser sincera, não sei se essa é uma boa dica. Acho esse livro muito fofo, mas vejo ele com um perfil bem específico, acho que será muito melhor aproveitado pelas meninas do que meninos, e acho que deve ser para alguém com pelo menos uns 10 anos de idade (sabe aquela fase na qual as meninas começam a ficar românticas e apaixonadinhas?).

Notem que eu não adicionei “Alice no país das maravilhas” à lista de recomendações, o que pode soar bem estranho para as pessoas que sabem como eu amo esse livro, mas por mais que eu ame esse livro nunca considerei um livro particularmente infantil e não sei se seria uma primeira leitura muito boa, acho que algumas pessoas/crianças podem achar o livro confuso. O próprio Carroll lançou o “Nursery Alice”, que é uma versão mais infantil da estória (e assim que eu receber o meu, conto para vocês como é).

E vocês, qual foi o primeiro livro que leram? Foi bom para vocês?



Categorias: Diversos
Tags: , , , , , , , , , ,

Dani Toste

Advogada, jogadora de RPG, viciada em internet, amante de de livros, séries, música e filmes. Acha que o Lewis Carrol é um gênio, é obcecada pelos livros da Alice que considera os melhores do mundo.

17 Comentários sobre A importância do seu primeiro livro

  1. Pingback: Lumos | Bibliophile

  2. Pingback: Grifo Nosso » Dicas do Grifo: Coleção Como Treinar seu Dragão

Adicione um comentário