Capítulo 11 – Através do Espelho e o que Alice encontrou lá

Escrito por: | em 07/07/2010 | Adicionar Comentário |

O PODCAST:

Play
Play

Baixe a versão zipada: Download.

Nota: Este podcast contém Spoilers.

O LIVRO:

Título: Através do Espelho e o que Alice encontrou lá.

Autor: Lewis Carroll

Ilustrador: John Tenniel

Continuando e finalizando as aventuras de Alice, “através do espelho” mostra a garota como um peão num jogo de xadrez, cruzando o mundo do espelho na esperança de tornar-se rainha. O livro mantém o estilo literário do seu antecessor mais conhecido (Alice no país das maravilhas) com personagens amalucados e diálogos cheios de nonsense e lógica.

Edições utilizadas:

– Carroll Lewis. Alice: edição comentada. Tradução: Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2002.

– Carroll Lewis. Aventuras de Alice no país das maravilhas; Através do espelho e o que Alice encontrou por lá. Tradução: Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2009.

A EQUIPE:

Comentários por: Danielle Toste, Eric Torres, Juliana Morais, Gustavo Domingues.

Edição por: Danielle Toste

A AVALIAÇÃO:


AVALIAÇÃO Dani Eric Gustavo Juliana Média
Trama 5,00 2,00 2,00 2,00 2,75
Personagens 5,00 3,00 4,00 3,00 3,75
Escrita 5,00 5,00 5,00 4,00 4,75
Leitura 5,00 2,00 2,00 3,00 3,00
Média 5,00 3,00 3,25 3,00 4,00

AS REFERÊNCIAS

Trilha Sonora:

Artista: EHMA – Album: La plage de Blâne-est

Artista: Olga Scotland – Album: Scotland Yard

Artista: Nicoco – Album: Classicoco

Artista: Evan LE NY – Album: Alice

Artista: Pixtuy – Album: Pieces of a world who dies

PRÓXIMO EPISÓDIO

O Capítulo 12 será sobre o livro: “Azincourt” de Bernard Cornwell.

Comentários, dúvidas, sugestões: contato [arroba] grifonosso.com

AVALIAÇÃO Dani Eric Gustavo Juliana Média
Trama 5 2 2 2 3
Personagens 5 3 4 3 4
Escrita 5 5 5 4 5
Leitura 5 2 2 3 3
Média 5 3 3 3 4



Categorias: Podcast
Tags: , , , , , , , , , ,

Dani Toste

Advogada, jogadora de RPG, viciada em internet, amante de de livros, séries, música e filmes. Acha que o Lewis Carrol é um gênio, é obcecada pelos livros da Alice que considera os melhores do mundo.

28 Comentários sobre Capítulo 11 – Através do Espelho e o que Alice encontrou lá

  1. Pingback: Tweets that mention Grifo Nosso » Capítulo 11 – Através do Espelho e o que Alice encontrou lá -- Topsy.com

  2. Felipe Nunes

    Muito bom o podcast.

    A nota final acabou sendo levemente deturpada por um fanatismo cego mas tudo bem… Também acho ele pior o outro Alice. Daria nota 3 para ele.

    Sobre o Azincourt acho ele legal, é o melhor dos livros isolados do Cornwell. Claro que “O Rei do Inverno” é muito melhor… Poderiam ler “O Último Reino”, primeiro volume das Crônicas Saxônicas.

    • Dani Toste

      Felipe,

      Não é fanatismo cego, é simplesmente gostar do livro. Como eu posso não dar nota máxima para o meu livro favorito de todos os tempos? Pode até ser que minha opinião não seja compartilhada por todos, mas não deixa de ser uma opinião e não deixa de valer por causa disso.

      André,

      Eu estou acostumada a nem todo mundo gostar do Carroll (como eu disse, as pessoas normalmente amam ou odeiam), o que eu achei foi que o pessoal foi que o pessoal perdeu um pouco de perspectiva na comparação porque o pais das maravilhas e o através do espelho são MUITO parecidos, e se você ouvir o primeiro podcast de novo, vai ver que os votos tem um tom bem diferente. Na minha opinião, faltou do pessoal justificar melhor a diferença.

      Abs.

  3. Andre V.H

    EEEEIIII Qual o problema de morar em Mauá?? ¬¬

  4. Andre V.H

    Hehe, a Dani fica maluca qdo os outros dão notas baixas rs.

    Mas quando alguém lê Lewis Carroll e não gosta é pq fez errado. Tentem ler denovo depois de boas doses de álcool e tudo fica mais interessante.

  5. Juliana Morais

    Viu Dani?

    Mais gente acha esse Alice mais amalucado que o outro…

    E eu também acho que Alice deve ficar beeemm diferente depois do álcool hehehe

  6. Guto Vissoci

    Olá!
    Deixando um comment só para dizer que ando curtindo o podcast de vcs.
    Infelizmente, não vou poder comentar sobre esse ultimo porque apenas tomei conhecimento do ‘grifo nosso’ apenas há algumas semanas, fazendo uma pesquisa no google em busca de um novo podcast para ouvir (podcast+livros). Por essa razão (porque somente ouço podcasts na academia ou no carro), ainda estou ouvindo os primeiros que vcs fizeram. Até me atrasei um pouco mais porque apenas hoje cedo terminei o livro do Percy Jackson para poder ouvir o respectivo programa. Mas, logo, logo, alcanço vcs!
    Queria comentar uma coisa que me faz gargalhar ao ouvir o grifo nosso: as piadas de direito! Como também sou da área, dou muita risada ao ouvir as piadas jurídicas, que as pessoas ‘comuns’ não conseguem achar graça! Mas o que me deixou feliz foi perceber que essa coisa de extrapolar as situações e tentar encaixar as normas jurídicas nos contextos mais absurdos não é maluquice só minha e dos meus amigos! Outros pirados também ficam tentando imaginar como seria a ação de despejo do Smaug o se um bicho falante tem personalidade jurídica…
    Como nota final, gostaria de sugerir alguns livros que li nos ultimos tempos e que acho que cabem no perfil dos que vcs tem analisado (bons, baratos e não muito compridos): No Buraco da Agulha, de Ken Follet; o Perfume, de patrick Susskind (acho que é assim o nome dele); e Orgulho e Preconceito, de Jane Austen. são três livros bem diferentes um do outro (um thriller de espionagem, um sobre um assassino na frança do século 18, mas com uma perspectiva diferente, e um romance clássico) e que podem ser comprados em edições de bolso (COMO EU AMO EDIÇÕES DE BOLSO!!! Livros bons e baratos!!).
    Ta, me demorei um pouco demais.
    Desculpa a chateação e, com sorte, no proximo podcast já vou conseguir comentar sobre o prórprio programa (até porque Cornwell é muito f*#@!!)
    Abraço!

  7. Jagunço

    Que “briga” feia, hein? :P

    Duas coisas: 1) eu gostei muito das críticas do pessoal. Acho que é preciso uma graaaande coragem para reclamar da leitura de um clássico e isso é bom. MAS…
    A mistura de livros de outros séculos e desse pode ser malvada. Como os critérios são gerais o comparativo fica dificil. Por exemplo, 5 grifos para “Leitura” em um livro escrito no século XIX são os mesmos 5 grifos para um Douglas Adams? Pensem nisso…

    2) Dani, você meteu medo em todo mundo! hauhauhauah… O pessoal estava tremendo em cada nota… XD
    Acho que faltou um cadim de frieza da senhora. Mas dá pra melhorar: aponte aí três (eu disse TRÊS) coisas RUINS neste livro. Não me venha com essa de “opinião”! Gosto se discute SIM (mas isso dá um post)!

    Abraço pr’ocês.

    • Dani Toste

      Jaguço,

      Eu falei, no podcast, de pelo menos 3 coisas que não gosto muito nesse livro, mas você não deve ter prestado atenção:

      1. A parte do trem: é muito confuso e não da para entender nada direito;
      2. O diálogo com o mosquito: não acho muito interessante;
      3. A confusão da parte da ovelha: da loja / p’ro rio / p’ra loja acho que quebra o ritmo de as mudanças acontecerem apenas nas trocas de casa (que apesar do nonsense é algo que faz sentido para mim).

      Mas veja bem, eu não reformulo minhas notas de forma alguma porque, repito, é o meu livro favorito de todos os tempos e mais ainda: é o livro que eu uso como padrão de comparação quando foi dar nota para outros livros, quando dou 5 grifos, por exemplo, para leitura no Douglas Adams, estou dizendo “Esse livro foi tão interessante/gostoso de ler quanto Alice”.

      Mesmo na parte da Trama, que é o único critério que PODERIA ser mais questionado, mantenho minha opinião: o livro tem uma trama, embora não seja o tipo convencional de trama que estamos acostumados e esse tipo de trama nonsense (meio confusa, rápida demais e dinamica) me agrada MUITO, porque, no fim das contas, o livro conta uma história sim.

      Para mim, a melhor comparação sobre a obra foi a feita no Alice comentado: O livro é como arte abstrata. Apesar de que, eu ainda acho, que se você for pensar que o livro todo descreve um sonho, ela é uma arte abstrata dentro de uma arte bastante realista (meus sonhos tem precisamente o mesmo ritmo).

      Vou até adicionar mais uma coisa ruim, para você não dizer que eu sou mão de vaca: eu, como a Ju, não sou muito fã de poemas no meio de livros e isso no geral diminui a minha avaliação da leitura. Mas a magia do Carroll, para mim, é justamente essa: nesse livro não fez a menor diferença na velocidade, diversão ou na minha impressão da leitura. Apesar dos poemas todos os critérios que eu levo em consideração para dar cinco para um livro nesse critério ainda estão lá: eu lí rápido e sem dificuldade; eu leria de novo em qualquer dia; eu quis ler de novo logo após ter lido pela primeira vez; eu leria o livro na frente da TV (e já li) e não o largaria para olhar para a tela.

      Resumindo: Eu nunca disse que o livro não tinha nada de ruim, mas eu disse e mantenho: é meu livro favorito e se eu não puder dar 5 para ele, preciso reformular todas as minha notas no Grifo Nosso, porque não poderia ter dado 5 para nenhum.

      Renan,

      Agora é tarde demais hehe, já está decidido. Mas os meninos acham o Azincourt o melhor dos livros “não série” do Cornwell, então veremos.

      Mas só para esclarecer: não é que eu não tenha gostado do Rei do Inverno (e da saga do Arthur no geral) é só que eu achei que no fim da série a história já estava um pouco cansativa, então não faço questão de ler de novo, se é para ler um livro com mais de 200pg prefiro que seja um inédito, cuja trama (ainda desconhecida) vai fazer a leitura fluir mais rápido.

      Abraços,

  8. Renan MacSan

    Eu gosto de Através do Espelho, apesar de entender quem não gosta, tem muita coisa nele que dá base pra ser entendido como um livro descuidado.
    Mas não estou sozinho nessa, estão aí diversos livros sobre Alice, sobre Carroll, sociedades de estudo sobre ele e diversas obras de adaptação.
    O poema Jabberwocky é uma obra-prima se lido no original, e também várias idéias criadas por ele são muito interessantes.

    Gosto é assim mesmo, não é meu livro favorito, mas gosto bastante. Afinal, todos temos alguma(s) coisa(s) que gostamos e a maioria das pessoas não gostam

    Agora, com relação ao próximo livro…
    NOOOOOOOOO!!!! (para citar Darth Vader no final da nova trilogia)
    Não peguem Azincourt. Se vocês não quiserem pegar O Rei do Inverno porque é grande, tranquilo,
    então peguem O Último Reino que não só é superior a Azincourt como tem
    100 páginas a menos do que ele. Dani, é bem mais curto e melhor.
    Praticidade e Qualidade.

  9. Thaís Priolli

    Gostei do episódio, bem engraçado, ainda não tenho vontade de ler nenhum dos livros da Alice, mas pretendo um dia ler para comentar aqui, e odiar ou amar os livros.
    Realmente uma pena não ler o livro O Rei do Inverno do Bernard Cornwell, por enquanto, As Cronicas de Arthur é a melhor serie por ele concluída, na minha opinião.
    Azincourt é um livro muito bom também.

  10. Felipe Nunes

    Dani,

    Achei que você ia entender que o meu comentário anterior foi uma pirraça… Mas como você é louca por esse livro tanto quanto ele é louco, veio com sete pedras na mão e não entendeu que era uma piada… Espere só no de Brumas de Avalon… :-P

    • Dani Toste

      Felipe,

      É que seu jeito de digitar é muito sério u.u eu sempre achei que a internet é uma séria barreira para ironia, sarcasmo e tiração de sarrro.

      Mas é isso ai, falou de Alice toma sete pedradas na cara ò.ó ahuahuahauhaua.

      Sobre o Brumas, só para esclarecer: eu gosto mas não sou ultra fã da série. Ultimamente acho que não estou me fazendo entender muito bem e todo mundo está achando que eu odeio o rei do inverno e amo o brumas e isso simplesmente não é verdade. Acho os livros igualmente bons, de formas e por motivos completamente diferentes, a única vantagem do Brumas é que a série é bem mais curta, então, para mim, menos cansativa.

      De certa forma, refletindo sobre o assunto cheguei a conclusão de que o Cornwell, em alguns aspectos, tem para mim as mesmas vantagens e desvantagens que o Tolkien: A trama é boa, mas as descrições me cansam, eu leio os livros, até com certa empolgação, porque quero saber o que vai acontecer na estória, mas chego a ficar um pouco irritada quando começa a enrolar demais nas descrições antes de acontecer alguma coisa de verdade.

      Abs, e cuidado para não apanhar ò.ó ahuahuahuaa.

  11. Tiago Malta

    Adorei o cast e esses meninos não sabem de nada, Amo esse livro, e esse meninos sãos uns bobocas que deram poucos grifos, concordo com a Dani é nota é 5 em tudo…

    OBS: repostei o podcast la no meu blog, ok????

  12. Tiago Malta

    ainda bem que a Juliana não falou de poesia desta vez, pois foi de morrer ela falando aquelas coiseiras

  13. Daniel Santos Lima

    Muito esse cast, sou ouvinte novo… Baixando os outros para começar a ouvir.

  14. Daniel Anand

    Ouvi mais esse episódio do Grifo Nosso, sempre ouço, mas quase nunca comento, e devo dizer que me diverti um bocado ao ouvir a turma toda sacaneando a Dani nas notas e críticas, só por saber que é o livro predileto dela! :D

    Ok, não foi bem assim, mas ainda assim achei engraçado. Devo comentar que tenho uma opinião parecida com o Gustavo em relação à sonhos: detesto histórias de sonhos. Aliás, não existe coisa mais chata do que alguém te contando um sonho. Porque sonho é uma coisa que só faz sentido pra quem teve, isso quando faz. Até hoje sou traumatizado com o final de Super Mario 2.

    Continuem o podcast, sou ouvinte regular, adoro os comentários do Eric e das piadas do Gustavo.

  15. Joao Filipe

    Sou ouvinte novo. Parabéns pelo podcast, realmente muito interessante. O trabalho está excelente, estou recomendando vcs.
    Ia fazer críticas às briguinhas, que enchem o saco, mas primeiramente vou dar uma passeada melhor pelo site.

    Abraços

    • Dani Toste

      João,

      As briguinhas são um episódio à parte, como você verá nos capítulos anteriores.

      Mas não acho necessariamente uma coisa ruim, acho que de certa forma demonstra a divergência de opiniões. Algumas pessoas já tinham reclamado da falta de brigas, vai entender.

      Acho que há episódios para todos os gostos.

  16. Cris Drovas

    Descobri o podcast por acaso e de cara, me conquistou a atenção. São meio bagunçados se perdem um pouco no assunto, mas isso que é natural numa boa conversa. É bom achar um site onde se discutam livros de modo casual e dinânico.
    EMBORA eu não entenda como possam cursar direito… Muitas diretrizes pro meu gosto.

    Enfim, continuem com o ótimo trabalho.

  17. Naldinho

    Eu tenho que confessar que não conhecia Alice muito bem (a obra de Alice no Pais das Maravilhas), nem lembrava direito da história, mas depois que descobri o site (a alguns dias a trás) baixei os dois podcasts relacionados a Alice, Nº1 e Nº11, e ouvindo os comentários da Danielle sobre o livro, ela me incentivou a ir atrás dessa obra literária que acabei comprando e amando. Lewis carroll ganhou mais um fan, por isso só tenho que agradecer a vc, senhorita Danielle Toste. Muito Obrigado Mesmo.

  18. Dani Toste

    Naldinho,

    Fico feliz de saber que você gostou da obra e que eu tive alguma coisa a ver com isso.

    Sempre digo que no geral as pessoas amam ou odeiam “Alice”, então é sempre uma grande satisfação quando descubro mais pessoas que amam.

    Abraços,

  19. Felipe

    Adorei os podcasts, sou meio que viciado em alice, ja li os 2 livros

  20. Emely

    Amei tudo aki, valew viu, por publicarem esse clássico

  21. abilio

    ola, conheci o site agora! é o primeiro podcast de voceês que ouço, e faço questão de comentar todos, mesmo sendo atrasado.
    adorei o comentario de vocês, fiquei com vontade e ler o livro da alice atraves do espelho que parece ser muito mais interessante do que no pais das maravilhas. um abraço a todos!

  22. Marilia Gil

    Realmente acho que eu sou a única pessoa no mundo que consegue se manter no “meio termo” entre o amor e o ódio. Eu concordo com o pessoal: a o livro não tem muita trama é um pouco cansativo, mas ainda assim continua sendo belo.

    A propósito, adorei o epsódio e a dinâmica de vcs (mesmo com as briguinhas, achei divertidíssimo!), ouvi 30 minutos e já me senti em casa! Amei amei amei! Só me pergunto onde raios eu estava que demoreitanto para descobrir o site! *-*

  23. Rodrigo

    Ei, eu gostei de “Alice No País das Maravilhas” desde a primeira leitura e não precisei de álcool para apreciar este livro, que foi um dos melhores que eu já li em minha vida. Estou até pensando em começar uma coleção de edições diferentes dele, quando eu tiver mais espaço pra livros. Ainda não li o “Através do Espelho…” porque não encontro em e-book na internet, mas já estou procurando o livro em papel mesmo pra comprar.

  24. Rodrigo

    A propósito,ja ouviram falar de uma terceira aventura de Alice que Carroll escreveu e ficou perdida por mais de um século?
    Eu gostaria de saber se esse livro é mesmo uma criação de Lewiss Carroll ou se é uma obra baseada nos duas originais.
    O livro chama-se “Onward, Alice!” e foi encontrado por Harry Jonathan Chong em uma biblioteca de Oxford.
    Vejam o link no Scribd : http://pt.scribd.com/doc/22380099/Alice-in-Wonderland-Onward-Alice

Adicione um comentário