Histórias Históricas: O Mais Longo dos Dias

Escrito por: | em 09/06/2011 | Adicionar Comentário |

A guerra será ganha ou perdida nas praias. Teremos apenas uma chance de deter o inimigo. Será quando ele estiver ainda na água, procurando chegar à praia. As reservas nunca chegarão ao ponto de ataque e será insensatez pensar nelas…Tudo que temos deve estar na costa. Fiquem sabendo que as 24 primeiras horas da invasão serão decisivas …Para os aliados, como para a Alemanha, será o mais longo dos dias.”

Erwin Rommel

A 2º Guerra Mundial produziu eventos que até hoje são únicos. Claro que quase tudo não passa de pura desgraça, mas alguns ficam um pouco de fora disto. É por esta razão que o dia 06 de junho de 1944 é marcante até para quem não gosta tanto de qualquer estudo sobre este período, já que definiu uma das maiores operações militares de toda a história que foi decisiva para a derrota dos alemães. Não é a toa que ficou conhecido como o dia D.

Os aliados atravessaram o canal da mancha com destino à Normandia, levando quase 200 mil homens só para a invasão terrestre. Antes da invasão pelo mar, os pára-quedistas foram enviados para marcar o caminho para os bombardeiros e para a infantaria.

O Mais Longo dos Dias, de Cornelius Ryan, recria este momento e toda a grandiosidade da operação Overlord, responsável pela surra nos meninos de Rommel. O autor cobriu a guerra na Europa, no entanto o livro foi escrito somente em 1956. Basicamente, ele reuniu relatos de alguns soldados envolvidos no conflito, bem como dos civis franceses que moravam na região, e montou tudo para formar a obra.

O livro é dividido em 3 partes, conforme o momento da operação Overlord:

A espera: O início é em La Roche-Guyon, no QG de Erwin Rommel (comandante do exército B na Normandia). O comando alemão intercepta algumas informações sobre um ataque iminente dos aliados e, sem grandes explicações até hoje, Rommel tem que fazer uma viagem repentina.  Passamos para a perspectiva de civis franceses e dos americanos, neste último caso nos planejamentos finais da invasão, para no final voltarmos à visão alemã. Com um tempo tão ruim, os nazistas não esperavam um desembarque aliado. No entanto, as brumas trouxeram muito mais do que fantasmas… Como se poderia esperar, é a parte mais parada do livro.

A noite: É a chuva de pára-quedistas em toda a Normandia. Esta parte envolve o trabalho dos homens da 82º e 101º divisões aerotransportadas do exército americano,  bem como da 6º divisão aerotransportada britânica, os quais deviam demarcar o campo de batalha para a infantaria que estava por vir. A carnificina começa aqui, mas um pouco tímida.

O dia: Por fim os aliados desembarcam nas praias de Omaha, Utah, Juno, Gold e Sword. O autor mostra as dificuldades em todas as praias, pela visão de várias pessoas. Sangue para todo o lado, principalmente em Omaha.

São recriados aguns diálogos de personagens reais, como do próprio Erwin Rommel. Contudo, o foco do livro está na narrativa propriamente, que chega a ter um cunho mais jornalísitico do que romanceado. No mais, quanto a parte histórica e estratégica, o livro permanece bem fiel ao que aconteceu.

Infelizmente o livro é encontrado apenas no formato pocket. Pelo menos o preço é bem baixo, aproximadamente R$ 15,00.

 



Categorias: Histórias Históricas
Tags: , , ,

Adicione um comentário