Outras Mídias: Orgulho e Preconceito

Escrito por: | em 27/06/2011 | Adicionar Comentário |

O livro “Orgulho e Preconceito” da escritora Jane Austen foi adaptado para o cinema e televisão várias vezes. A obra que será analisada nesse artigo será a última adaptação para o cinema, de 2005, do diretor Joe Wright. Para ver a história do livro veja a review, neste artigo irei apenas comparar as duas versões.

Capa do Filme


O livro e o filme são ambientados na Inglaterra da virada do século XIX, com os costumes e a educação típicos da época. A personagem central da trama é Elizabeth Bennet, representada pela Keira Knightley de filmes como Piratas do Caribe e Rei Arthur, uma boa escolha para o papel uma vez que se parece muito à vontade na pele da personagem. A personagem Elizabeth representa o preconceito, pois quando conhece o Sr. Darcy pela primeira vez ela já cria uma imagem dele e tudo o que falam que ele fez de ruim ela acredita sem questionar, no final descobrindo que tudo não passou de mentiras.

E o par romântico de Elizabeth é o Sr. Darcy, interpretado por Matthew Macfadyen, este também uma boa escolha. O Sr. Darcy representa o orgulho, este orgulho provém da posição social dele, por se achar melhor do que os outros por conta disso, e por muitas vezes acaba destratando algumas pessoas, sendo que isto é mais mostrado no livro do que no filme.

Editora Martin Claret, edição utilizada para leitura.


Gostei das escolhas dos atores, acredito que as características marcantes do livro foram bem representadas por eles, um bom exemplo disso é a Sra. Bennet e Lydia, mãe e irmã de Elizabeth, são personagens irritantes tanto no filme quanto no livro, especialmente no livro, pois são cortadas algumas partes no filme.

O Sr. Bennet é um personagem que acho que foi um dos menos explorados no filme, mas mesmo assim gostei da escolha do ator Donald Sutherland, ele era exatamente o que eu esperava dele, um personagem divertido.

Mudaria algumas coisas no filmes uma delas o ator do Sr. Wickham, pois no livro ele parecia ser mais bonito, e outra coisa que eu mudaria no filme, com certeza, seria o cabelo do Sr. Bingley, o que era aquilo?

Acredito que esse penteado não era utilizado na época.

O que eu prefiro? Como é a regra geral: Eu prefiro o livro, por conter mais detalhes e mais história. Muita coisa foi tirada do enredo para fazer o filme, especialmente detalhes que nos levam à conhecer melhor os personagens que são o ponto forte do livro. Uma adaptação fiel daria pelo menos umas 5 horas.

Conclusão: Levando tudo isso em conta: Caso você não tenha visto o filme ou lido o livro, eu aconselharia a ler o livro antes, mas caso não tenha muito tempo, veja o filme que ele passa a ideia geral do livro.

 

Sendo assim darei 4 Grifos para essa adaptação em especial do livro.



Categorias: Outras Mídias
Tags: , , , , , , , , ,

Thaís Priolli

Louca por distopias, sempre com uma teoria de "E se...". Não pretende morrer neste planeta.

2 Comentários sobre Outras Mídias: Orgulho e Preconceito

  1. Melissa

    O filme é tão bonito em termos de fotografia… Gosto bastante… E a Keira ficou perfeita como Elizabeth. Estranho, mas gosto mais do Sr. Bennet no filme. No livro ele é um chato…

  2. Pingback: Livros: The Complete Stories of Sherlock Holmes e The Complete Novels of Jane Austen | Grifo Nosso

Adicione um comentário