Outras Mídias: Alice através do espelho (1998)

Escrito por: | em 01/07/2011 | Adicionar Comentário |

Como faz algumas semanas que eu não falo de Alice, achei que estava na hora de falar de um filme que pouca gente conhece, mas que é provavelmente minha adaptação favorita dos livros do Lewis Carroll.

Curiosamente (ou não?) é um filme MUITO difícil de achar, que eu descobri alguns anos atrás quando ele estava passando em algum canal da TV a cabo, depois ele parou de passar lá, e embora eu realmente quisesse comprá-lo, nunca o encontrei em nenhum loja.

OBRA ORIGINAL OBRA DERIVADA
Capa Capa do livro "Através do Espelho" da Zahar
Capa do Filme "Alice através do espelho" do Channel 4 (1998)
Título Através do Espelho
(E o que Alice encontrou lá)
Alice através do espelho
Autor ou Diretor Lewis Carroll
John Henderson
Editora ou Estúdio Domínio Público
Channel 4 (TV);
Family Home Entertainment;
Lion Gate Home Entertainment.
Tipo Livro Filme


A primeira coisa excepcional nesse filme é que ele é pura e unicamente sobre o “Através do Espelho”. Isso é uma raridade não apenas porque a maioria das pessoas não da muita atenção para a segunda aventura da Alice, mas porque de TODAS as adaptações que eu vi até hoje é a ÚNICA que não mistura elementos dos dois livros. Tenho bastante convicção de que a maior parte das pessoas não faz idéia quando assiste o clássico desenho da Disney na verdade não está conhecendo apenas o “país das maravilhas”, mas uma mistura dele com o “mundo do espelho”.

Meus colegas de podcast acharam esse livro demasiadamente nonsense e confuso, mas talvez tivessem tido uma perspectiva melhor (ou não) se, como eu, tivessem visto esse filme antes de ler o livro.

O filme, além de ser velho (de 1998), foi produzido para a TV, então não esperem uma produção Hollywoodiana de tirar o fôlego (como foi o caso do recente filme do Tim Burton), mas achei que as alternativas utilizadas para “facilitar” o trabalho foram inteligentes: não há personagens animados por computação gráfica, os diálogos da Alice são travados por atores, encarnando a essência dos animais/flores/etc que pretendem representar.

 

Print do filme "Alice através do espelho (1998)"

Tela do filme, quando a rainha vermelha explica as regras para a Alice

Honestamente nada disso teve muita importância para mim: sempre achei que a grande estrela dos livros do Carroll eram os diálogos, coisa que não depende em nada da qualidade dos efeitos especiais.

Neste quesito, devo dizer que de TODAS as adaptações cinematográficas com as quais eu tive contato até hoje essa é, definitivamente, a mais fiel de todas.

Tirando a idade da Alice, o começo sobre como ela chega ali e outros poucos detalhes, a ordem da história, as personagens e os diálogos são traduzidos quase que literalmente. Se você tiver vontade e paciência, conseguirá, sem maiores problemas, acompanhar o filme com o livro na mão e ver os diálogos serem perfeitamente traduzidos na tela. Para sentirem um gostinho, podem ver o trailer no youtube.

Com tudo o que eu disse, não vou sequer lhes apontar o que eu prefiro, já que, além de fazer parte da dobradinha do meu livro favorito (e eu considerar ambos quase como uma coisa só), o filme consegue reproduzir o livro quase que perfeitamente.

Aliás, o filme possui, inclusive, o capítulo suprimido do livro: “O Marimbondo de Peruca” (que você pode ler em algumas edições, como a comentada da Zahar), de forma que poderia-se dizer que é mais completo do que algumas edições que vocês encontrarão por ai.

Conclusão: Recomendo MUITO esse filme. Atribuiria 5 grifos sem problema, independente de qualquer coisa, mas vou descontar 1 grifinho pela simplicidade dos efeitos especiais, para vocês não dizerem que estou puxando o saco (apesar que meu filme favorito de todos os tempos tem efeitos não menos precários).

E se descobrirem onde posso comprar o DVD, avisem. Para mim é definitivamente um título digno de fazer parte da minha modesta coleção.




Categorias: Outras Mídias
Tags: , , , , ,

Dani Toste

Advogada, jogadora de RPG, viciada em internet, amante de de livros, séries, música e filmes. Acha que o Lewis Carrol é um gênio, é obcecada pelos livros da Alice que considera os melhores do mundo.