Notícias Subterrâneas: Semana 18

Escrito por: | em 04/02/2012 | Adicionar Comentário |

Saudações! Sejam bem vindos à décima oitava edição das Notícias Subterrãneas, cobrindo os lançamentos da semana de 29 de Janeiro a 4 de Fevereiro.

Comentários sobre novos livros de terror, fantasia e sci-fi, sejam eles americanos, ingleses ou brasileiros, mas todos unidos pelo fato de que você provavelmente ainda não os conhecia. E para a alegria geral, mas principalmente para a minha, a editora dracaena anunciou novos lançamentos! Literatura nacional, é tão bom ver que saiu do seu coma alcoólico de fim de ano.

Sempre lembrando, é claro, que para mais informações, sinopses ou para comprar qualquer livro, cliquem na capa. Peço novamente que comentem, critiquem e divulguem a coluna, ou ao menos leiam as sinopses, sempre temos muitas bizarrices e obras criativas por aqui.

Sem mais delongas, vamos aos lançamentos!

The Faceless (Simon Bestwick)

The Faceless

Mais um livro de terror (talvez o sétimo ou oitavo que comento por aqui), e como já comentei sobre casas assombradas, trens assombrados e com certeza deixei alguns leitores assombrados (HA-HA!) , nada mais natural do que falar de cidades assombradas. Tendo isso em vista, contemplem Silent Hill The Faceless!

Pela capa pode-se inferir que The Faceless trata de um hospital assombrado, mas, aliás, não….esperem… bom, disso também, mas não só disso. A história se passa em Silent Hill Kempforth, onde estranhas aparições movem-se pela neblina e pessoas desaparecem frequentemente (cof, genérico, cof). Com o desaparecimento de uma garota em especial, a Inspetora Renwick inicia uma busca desesperada pela verdade por trás do que está acontecendo. Visões bizarras atraem dois irmãos que possuem alguma ligação com a cidade em seu passado de volta a Kempforth. Soma-se a isso uma historiadora que reconstrói uma narrativa sinistra da história da cidade e diversas forças que convergem para o hospital abandonado. Absurdamente criativo? Não. Com potencial? Muito, o livro tem quase quinhentas páginas, espaço suficiente para explorar a fundo os mistérios e criar um clima pesado de terror. Aliás, é o único livro da semana com versão para kindle.

Greatshadow: The Dragon Apocalypse (James Maxey)

Greatshadow

 “Ei, Lorde Worth! Achei que você se recusasse a falar de livros com dragão no título, decidiu mudar de ideia?”

NÃO! Ainda estou decidido a ignorar a maior parte dos livros com dragão no título, a não ser que sejam muito bons ou muito criativos (lembram do Dragon Arcana?). No caso de Greatshadow, no subtítulo está escrito “The Dragon Apocalypse”. Sim, eu sei que isso já foi feito antes, inclusive no cinema, mas ainda é um tema que pode ser explorado de formas novas.

Em Greatshadow, o dragão Greatshadow (que redundância) é considerado um dos maiores inimigos da humanidade por sua ligação com todas as formas de fogo (ele pode literalmente enxergar por chamas de velas). A Igreja manda um grupo de veteranos de guerra para matar Greatshadow em seu lar, mas o grupo enfrenta dificuldades por suas divergências ideológicas ao longo da missão.

Certo, não parece criativo. Greatshadow está na lista devido aos trechos da sinopse que falam em “12 veteranos de guerra” e “divergências ideológicas”, há potencial nessa discussão.

Ryiria Revelations, livro 3: Heir of Novron (Michael J. Sullivan)

Heir of Novron

Ryiria Revelations! Como é bom vê-los novamente por aqui, senhores Royce Melborn e Hadrian Blackwater!

“Mas o que é Riria Revelations?”

Ach! Volte para a Semana 8 e leia a explicação que dei ao falar de Theft of Swords, primeiro compendio do relançamento de Riyria Revelations pela editora Orbit. Em Heir of Novron, que reúne os dois livros Wintertide e Percepliquis, a aventura retrô de nossa dupla de super policiais medievais chega ao seu fim. É uma pena que a trilogia tenha sido publicada em um intervalo de tão poucas semanas, gostaria de poder falar de Heir of Novron após ter acabado Theft of Swords. Pelo menos o desfecho tem nada menos que 960 páginas (0_0).

Não comentei sobre a sinopse, afinal é a conclusão de uma trilogia. Basta dizer que (fanboy mode: on) Riyria Revelations é uma série que prova que uma aventura de fantasia clássica ainda pode ser bem escrita e desenvolvida, sem ficar genérica ou cansativa.

The Bookman Histories, livro 3: The Great Game (Lavie Tidhar)

The Great Game

 Terceiro de uma série, com um tema steampunk, o que me deixa extremamente preocupado logo de cara. The Great Game faz parte de uma coleção cujos livros, até onde posso perceber, não têm nenhuma ligação entre si. Pela sinopse do primeiro livro (Bookman) e do próprio The Great Game, percebo um ar bem satírico na série, exatamente pela avalanche de informação e referências. Nem sei como exemplificar, leiam a sinopse, eu espero.

Já voltaram? Ótimo! O que é mais impressionante, Houdini e Drácula na mesma história ou Frankenstein e alienígenas? The Great Game é tão alucinado que tenho até medo de que eu precise ler bêbado caso algum dia consiga esse livro.

Preview

Oldar- Guerra da Traição (Rondinelli Fortalesa)

Oldar

Novamente reclamando das datas de lançamentos e informações. A maior parte dos blogs ao escrever “novos lançamentos” quer dizer “anunciados novos livros”, o que causa certa confusão as vezes, os sites das editoras colocam as datas de lançamentos dos livros com no máximo um mês especificado e falam das datas de eventos de lançamentos até mesmo em sites separados. No passado, especificamente falando da Lenda de Högni, me deparei com situações em que o autor e a editora informaram datas diferentes para o lançamento do livro (aliás, obrigado pela informação no facebook, Donadon). Mesmo com a ajuda do twitter fica difícil especificar o dia em que certos livros são lançados. Por isso, de tempos em tempos colocarei um preview de um livro que foi recentemente anunciado, mas sem data certa.

Oldar é o primeiro livro do ano a entrar na parte de previews nacionais (caso apareça uma data específica de evento no futuro, certamente comentarei por aqui).

Pela sinopse do site da Dracaena, nada muito impressionante. Fantasia básica, alguma teoria política, nenhum nome de personagem na sinopse. Claro, a proposta de escrever uma obra sobre o mundo em si e não sobre os personagens é sempre algo que desaprovo a não ser que seja muito bem feito  (MUITO bem feito). Pensei até em criticar que com 200 páginas não é possível criar um mundo tão complexo, mas então me lembrei de Fundação e Oldar ganhou o benefício da dúvida. Foi justamente graças a essa dúvida que fiz outra pesquisa rápida e descobri que esse é uma nova edição de um livro de quatro anos atrás, lançado pela editora Scortecci e encontrei um site que fez um trabalho muito melhor em criar uma sinopse para Oldar (bem menor e mais relevante) do que a Dracaena.

Por fim fiquei curioso sobre como será desenvolvida a história do Telfem e como as teorias políticas se desenvolvem. Uma nota de aviso: a sinopse do site da Dracaena carece de no mínimo nomes de personagens e ainda assim passa uma ideia bem diferente de Oldar do que outras por aí. Checar o Skoob pode ser mais interessante: http://www.skoob.com.br/livro/115173-oldar

Estou lendo: O Conquistador, livro 2- Os Senhores do Arco (Conn Iggulden)

Sem muito o que dizer, acabei The Way of Kings. Na quinta parte do livro há só trinta páginas, 6 capítulos, cada um com uma revelação mais esmagadora que a outra e todas culminaram em um momento de epicismo-destruidor-de-mundos que me deixou babando e com os olhos fixos no nada, mais ou menos como um animal morto pela implosão de seu cérebro. Então, sim, The Way of Kings é o melhor início de série que já li. Ao me recuperar dos múltiplos derrames que sofri devido à escrita monstruosa do senhor Sanderson, saquei o próximo livro de minha pilha: Os Senhores do Arco, segundo livro da série de ficção histórica de Conn Iggulden acerca de Gênghis Khan (Khaaaaaaaaaan!)

Há alguns meses li O Lobo das Planícies e embora tenha considerado-o um dos romances históricos que mais exagera na liberdade romântica, me diverti muito. Claro, não é tão exagerado ou romanceado quanto Sharpe, mas novamente, Sharpe é uma história sobre um super-soldado que por acaso passa por batalhas históricas, não uma recriação romanceada de um momento histórico. Enfim, estou na página 120, ainda me impressiona como Conn Iggulden torna tudo tão cinematográfico e poupa o leitor das descrições de odores humanos desagradáveis (aprenda com isso, Cornwell!).

 

Agradeço a presença de todos, peço desculpas pelo atraso típico, mas tive certos problemas com minhas listas. Na próxima semana continuarei meu conflito interior sobre passar a publicar a coluna na hora certa ou mudar a hora padrão.

Comentem, critiquem e todos os outros pedidos de feedback que sempre faço.

Até a próxima semana, nossa data padrão para escavar livros perdidos e ignorados nos Reinos Subterrâneos. Até lá!

 



Categorias: Notícias Subterrâneas
Tags: , , , , , , ,

Lorde Worth

Caçador de Hobbies exóticos, leitor obsessivo e jogador compulsivo.

5 Comentários sobre Notícias Subterrâneas: Semana 18

  1. Renan MacSan

    Quer dizer que The Way of Kings é bom assim?
    Tomara que publiquem no Brasil.

    Não sou muito fã do Sanderson pois li metade do seu The Final Empire e não gostei muito. Espero que esse seja diferente.

    • Lorde Worth

      O último livro que me deixou tão catatônico foi O Perfume, e atualmente é meu livro favorito.

      Se você quer ler, Renan… bom, acho melhor prevenir novamente, as primeiras 100 ou 150 páginas são beeeeeem arrastadas, e embora eu goste do Sanderson tive alguma dificuldade em entender o mundo até aí. Aliás, também não passei da metade do Final Empire ainda XD, valeu por me lembrar.

  2. Ronaldo Cavalcante (@RonaldoCav)

    Wow… Gostei desse GreatShadow!!!
    Qual a picuinha com capas com dragões, senhor Worth?
    Adoro Dragões… pena sempre retratarem Dragões de Fogo… tsc tsc tsc…

    Odeio pessoas que comentam efusivamente um livro… The Way of the Kings terá de entrar na minha lista de 2012 hehe

    • Lorde Worth

      hahaha, os dragões… não diria picuinha, prefiro dizer receio justificado. Justamente pelos dragões serem seres tão clássicos da fantasia, sou mais exigente quanto a livros que tentam mostrá-los como seu diferencial. Nenhum problema quanto aos dragões, mas eles já foram tão exauridos quanto os zumbis.

      Eu até fiquei preocupado quando acabei o The Way of Kings, mas então procurei reviews por aí e descobri hordas de pessoas babando como eu, então acho que pode confiar =P

  3. Priscilla Rúbia

    Poxa, The Faceless me interessou bastante, espero realmente que não demore a ser publicado por aq.

Adicione um comentário