Notícias Subterrâneas: Semana 20

Escrito por: | em 19/02/2012 | Adicionar Comentário |

Saudações, bem vindos aos maravilhoso reinos subterrâneos da literatura! Em mais uma edição das notícias subterrâneas, onde falamos de lançamentos e fazemos piadas ruins. Novamente (melhor dizendo, pela primeira vez) a culpa do atraso não é minha, mas sim de minha gloriosa conexão de internet, que caiu de tempos em tempos durante sexta, sábado e boa parte do domingo. TAMBÉM é culpa dos lançamentos da semana, que vieram em grande número e com pouco nível de criatividade. Sim, as sinopses dos livros da semana de 12 a 18 de janeiro foram pouco criativas, por isso começamos agora nossa semana temática de livros genéricos! Bom, nem tanto. De fato, as primeiras reviews mostram que alguns dos livros que achei fracos a primeira vista são na verdade bons. Comecemos logo o relatório! Leitores novos: cliquem nas capas para ler sinopses ou comprar, deixem seus comments sobre os livros da lista e o que estão lendo (boa ideia, Priscilla) e assim comprem minha felicidade.

Lançamentos americanos

The Detour (Andromeda Romano-Lax) *^

the detour

Começando a semana de genéricos com um de Segunda Guerra. Primeiramente, uma confissão: depois de livros sobre dragões, livros de segunda guerra são minha maior alergia. Então, farei dois comentários sobre The Detour:

1) Tendo em vista meu preconceito. É mais um livro de agentes secretos durante a Segunda Guerra, com provavelmente nenhuma situação muito surpreendente e um clima bem descerebrado. A história de The Detour é contada pelo protagonista dez anos no futuro, 1948, o que já acaba com qualquer tensão nas situações de vida e morte da história de 1938. Podem até argumentar que ainda são feitas obras boas sobre o nazismo, como Bastardos Inglórios, mas a sinopse de The Detour parece incrivelmente fraca e genérica. Aliás, o livro só sairia do primeiro lugar da lista caso houvesse um livro de dragão por aqui, como não há, é automaticamente o mais genérico.

2) Sendo mais crítico e tendo em vista as reviews que li. É um livro sobre um alemão sem nenhuma perspectiva de vida que por algumas coincidências cósmicas é mandado para Roma com a missão de roubar o Discóbolo de Mirón na companhia de dois gêmeos italianos que depois o arrastam em uma aventura pela Itália com a estátua na caminhonete.  A história aparentemente só faz uso da guerra como um plano de fundo vago e não como eixo principal da narrativa, que inclusive por ser feita pelo protagonista de dez anos no futuro trás análises interessantes sobre como certas ações pareciam fazer sentido na hora mas perderam o sentido após a guerra. Todas as reviews que li foram incrivelmente positivas, o que me dá esperança de que The Detour seja um livro muito bom.

The Quiet Twin (Dan Vyleta)

the quiet twin

Genérico de A Janela Indiscreta. Sim, aquele filme em que o fotógrafo fica na janela assistindo a vida das pessoas da vizinhança. Vamos desenterrar a carreira do autor para avaliar melhor a proposta do livro. Vejamos… Viena, Viena, Viena, livro de suspense, assassinato, judeus, mais suspense… Acho que posso dar algum crédito para The Quiet Twin. A história se passa em 1939, em Viena, onde o protagonista, dr. Beer (ha-ha), se vê frente a uma onda de assassinatos que incluem… um cachorro.

Como?

Sim, um cachorro. O protagonista então, decidido de que o assassinato foi cometido por um dos vizinhos, começa a vasculhar as vidas e apartamentos dos moradores do bloco de apartamentos. Embora o autor tenha algum crédito e tenha escrito livros bem criticados com diversos elementos idênticos, realmente não sei se The Quiet Twin consegue se sustentar com tanta força.

Então o que significam as reviews absurdamente positivas que estão explodindo pela internet?

Significam que é um livro focado na condição psicológica das pessoas de Viena em 1939 e como isso tornou o solo fértil para o nazismo. Parece bom? Muitos dizem que é muito bom, eu ainda estou tentando exorcizar meu preconceito de Segunda Guerra…

Elves, livro 2: Rise of the Taigethen (James Barclay)*

rise of the taigethen

 Genérico de muitos outros, mas citarei só os Scoia’tael. A série chama-se Elfos, pelo amor dos céus! Só a capa já é o suficiente para deixar duas coisas bem claras:

1- é um livro de fantasia genérica clássica.

2- é um livro sobre a guerra dos elfos contra a humanidade para proteger as florestas (vai, Planeta!) e a cultura dos elfos.

Como isso pode ser bom? Bom, James Barclay conseguiu sua base de fãs tratando só de fantasia clássica, sem muita invenção ou enredos muito grandiosos. Muitos adoram as séries Legends of the Raven e Chronicles of the Raven, obras consagradas de Barclay, pela ação que permeia as páginas e pela facilidade de leitura. Francamente não gosto de James Barclay, todas as alegorias que tantos dizem terem sido magistralmente aplicadas em Elves já foram feitas em outras obras de fantasia de autores igualmente consagrados e não gosto de livros de fantasia tolkeniana que não se esforçam para criar nada diferente. Com certeza é um livro divertido e bem escrito, mas não é algo inovador, genial ou diferente de dezenas de outros (uma carranca amarga estampada em meu rosto enquanto escrevo).

Thief’s Covenant (Ari Marmell)*

thief's covenant

Genérico do Robin Hood (sacanaaaagem!). Não, não é um plágio tão óbvio. Thief’s Covenant é a primeira aventura da ladra Widdershins, uma ex-aristocrata que devido a uma conspiração foi jogada aos maiores redutos de criminosos da cidade de Davillon. O segundo livro da série já está despontando no horizonte, inclusive. O que achei muito interessante na sinopse é que o único aliado que Widdershins mantem a seu lado o tempo todo é um deus que só possui uma seguidora: a própria Widdershins. Pode ser feito um estudo muito bom de religião a partir disso, embora eu tenha certeza de que o livro não deve chegar nem perto disso (anotando a ideia para um dia usar em um conto…) e deve se focar só na ação mesmo, com 270 páginas não seria possível fazer muito mais. Claro, é uma história sobre uma ladra carismática vencendo o mundo todo para se manter no poder de seu império do submundo, tem a proposta de ser muito divertida e emocionante, não profunda. Pode ser um livro muito legal.

Lançamentos Ingleses

Jackelian, livro 6: From the Deep of te Dark (Stephen Hunt)

from te deep of the dark

É Steampunk, alguém tem dúvidas de que é genérico? Melhor ainda, é um genérico de Vinte Mil Léguas Submarinas, pode piorar?(muita sacanaaaaaaaagem!). Perdão, tentarei me controlar. Deixando de lado meu ódio pelo Verne (aquele velho nojento) e minhas decepções com Steampunk, falemos da sinopse. O sexto livro de uma série de histórias situadas no mesmo mundo steampunk, From the Deep of the Dark trata de uma perseguição submarina em que uma ladra, um detetive e um robô a vapor fogem pelas profundezas dos reinos submarinos. As reviews dizem que é um livro muito criativo… Não consigo ver nada tão promissor aqui, mas novamente, podem ser só minhas aversões falando mais alto. No momento tenho obras de steampunk o suficiente em minha lista de leituras, então deixarei esta passar com certeza. Independente de meus preconceitos, a série Jackelian está sendo muito bem avaliada pela crítica, tirem as conclusões que quiserem.

Relançamentos

Forerunner (Andre Norton)

forerunner

Vemos novamente um clássico emergir das trevas do esquecimento. Após alguns anos em que esteve esgotado em todos os lugares, Forerunner está sendo relançado pela editora Tor. Aliás, esse foi o primeiro livro a ser lançado pela Tor, anos atrás. Mas o que é Forerunner? Eu não sabia até encontrá-lo na lista, e após uma curta pesquisa fiquei abismado com a quantidade de livros e jogos de sci-fi que se baseiam em ideias propostas por essa obra. Claro, há muitas coisas recicladas de outras obras de sci-fi da mesma época, mas ainda assim fiquei muito interessado no que é proposto por Forerunner. 25 anos após seu lançamento, ainda vejo muitas ideias frescas e atraentes na sinopse o que já garante um lugar em minha lista de leituras, em alguns meses deve aparecer por aqui no inevitável Estou Lendo, que curiosamente acontece exatamente agora:

Estou Lendo: Os Senhores do Arco ( Conn Iggulden)

Ainda estou lendo Os Senhores do Arco, li só mais 50 páginas na última semana. Isso se deve principalmente ao fato de que na semana passada me dediquei a ler e analisar Noite na Taverna. Esse sim é um senhor livro de contos! Está longe de ser o tipo de livro pedido na escola, embora seja uma obra clássica brasileira. Os contos acontecem em diversas cidades europeias clássicas, com temas recorrentes do romantismo gótico e MUITAS referências a outras obras. Perdi a conta de quantas vezes li menções a Byron. Embora não seja uma obra gótica genial (reservo o posto de autor genial da literatura gótica somente para Alan Poe), é muito leve e divertida.

Sinto-me um sociopata agora. Como assim “muito leve e divertida”? É um livro que fala de necrofilia, antropofagia, estupro, traição, incesto e assassinatos diversos, fora é claro do “mal do século”. Mas a leitura é rápida, a narrativa fluida e animada e os personagens simples mas carismáticos. Achei especialmente divertidas as partes em que os bêbados se interrompem durante suas narrativas para insultar alguém ou pedir mais bebida.

Ah, sim. Também li mais algumas poucas páginas da Saga Volsung

 

Aqui acabamos as atrasadas Notícias Subterrâneas. Logo quando eu esperava voltar a cumprir meus prazos, me atraso um dia inteiro. Agradeço à presença de todos. Deixem seus insultos a meu desleixo,  reclamações por meu preconceito com os livros da semana e comentários sobre suas leituras.

Até semana que vem, quando minha internet talvez melhore e eu consiga cumprir meus prazos.

Nos vemos nos Reinos Subterrâneos! Até lá.



Categorias: Notícias Subterrâneas
Tags: , , , , , , , ,

Lorde Worth

Caçador de Hobbies exóticos, leitor obsessivo e jogador compulsivo.

5 Comentários sobre Notícias Subterrâneas: Semana 20

  1. Priscilla Rúbia

    O que me interessou essa semana foi The Quiet Twin. Acho que semana q vem já começam os lançamentos brasileiros né? Mas Worth, pq esse preconceito com livros da 2ª Guerra? Teve algum q vc leu e pegou a alergia? duedehde Estou lendo A Ira dos Dragões, que não é propriamente um livro sobre dragões (viu Worth). O autor é o Estus Daheri (ou Thiago Tizzot para os íntimos) com 8 contos baseados em ilustrações do John Howe (o msm q fez as ilustras de Senhor dos Anéis). Estou no quinto conto e gostando bastante da criatividade do autor. Que bom q gostou da minha idéia :3 Até semana q vem! \o

    • Lorde Worth

      Livros de Segunda Guerra, melhor dizer que li alguns que me deram alergia, hahahahahaha.

  2. Ronaldo Cavalcante (@RonaldoCav)

    Gostei bastante de Elves… Espero que lancem por aqui em breve o primeiro volume em português. Por mais que muitas histórias sejam bem batidas sobre esses seres não consigo deixar de lado uma leitura com eles. Um livro TODO com eles eu não consigo ignorar hehehe

    Senhor Wooooooorth… será que conseguirá tirar meu preconceito sobre contos??? Noite na Taverna me interessou bastante..

    Vlw! \o/

    • Lorde Worth

      Preconceito com contos? O Último Desejo foi tiro e queda com todas as pessoas para quem recomendei. Bom, o Noite na Taverna também é um livro bem tranquilo, curto (90 páginas) e interessante, fora ser facílimo de encontrar.
      Se os lançamentos continuarem assim, logo começarei uma coluna “como vencer seus preconceitos literários” XD

      • Ronaldo Cavalcante (@RonaldoCav)

        Hahahahahahaha… olha que pode dar certo!!!
        Mas meu pé atrás como já disse antes em outro post é que alguns contos são bons demais para serem tão curtos… por isso evito.

Adicione um comentário