história Archives - Grifo Nosso

Palavra Jagunça: um pacote de bons ensaios

Publicado em by Jagunço | em Diversos | Deixe um comentário  

É, eu sei. Faz tempo que não cutuco o mundo das leituras rápidas com minha coluna ocasional. Mas vamos lá que vai ser indolor…

O Beijo de Lamourette: mídia cultura e revolução, do historiador americano Robert Darnton (com tradução de Denise Bottmann) é um bom livro sobre… bom cultura, sociedade, literatura, imprensa e revoluções. É dividido em 15 ensaios de tamanho variado, com um boa dose de variedade de abordagens. Publicado pela primeira vez em 1990, ele contém um conjunto de análises diversas sobre temas que vão da profissão do jornalista a história do livro e suas implicações. Brincando com uma linguagem razoavelmente acessível – ponto pelo qual o próprio Darnton luta – o texto dos ensaios varia também do tratamento e na forma, sem deixar de lado uma leve erudição, misturada a uma clareza de jornalista.

Sempre entendi a Revolução Francesa como algo mítico. Leituras diversas, como a do próprio Darton, me fizeram pensar em como, na prática, nossa própria capacidade moderna de fazer julgamentos, de postar em sites ou de criticar governos tem uma raiz mais do que profunda em 1789. Não é literatura, mas é o que sustenta muitas delas. Continue lendo…

Conn Iggulden: a primeira coluna do império é sempre a espada

Publicado em by Eric Torres | em Criadores de Mundos | 5 Comentários

Um pouco diferente das conquistas de hoje, o sabor nostálgico de uma vitória banhada a sangue com o misticismo conduzindo todas as decisões sem dúvida deixa a leitura de uma romance histórico interessante. Claro, não estou dizendo que hoje não há violência ou misticismo, mas sim que o homem ficou mais interiorizado e excessivamente lamurioso, e isto parece ter retirado algo da diversão das narrativas em ambientes mais recentes (Odin acharia tudo uma vergonha, afinal somente hoje nós temos vampiros indecisos cujo máximo de poder não vai além de uma intriguinha novelesca).

Conn Iggulden

Conn Iggulden

Naturalmente em Conn Iggulden ficamos com a primeira opção. Na mesma linha de Bernard Cornwell,  o autor desenvolve seu mundo em períodos históricos muito bem delimitados, com riqueza de detalhes e uma especial atenção para as batalhas. Sim, aqui o poder nasce de um monte de corpos jogados em um campo de batalha, na mais clássica forma de Continue lendo…