Notícias subterrâneas: semana 1

Escrito por: | em 08/10/2011 | Adicionar Comentário |

Saudações, leitores! Hoje começa a nova coluna do Grifo “Notícias subterrâneas”, o resumo das notícias que vocês provavelmente não ouviram, mas que foram cuidadosamente compiladas por seu anfitrião Lorde Worth.  Minha proposta com isso é apresentar algo novo a todos os leitores de fantasia e ficção científica, algo diferente e interessante que por algum motivo não conhecemos. Assim, todo sábado comentarei cinco lançamentos (ou eventos) da literatura nacional e internacional. Livros famosos que não apareceram nas terras tupiniquins, livros nacionais pouco valorizados ou  relançamentos.

Entendam, no entanto, que seleciono os livros lançados somente na semana da coluna e de acordo com meu gosto, espero que fiquem curiosos a buscar mais sobre alguma destas obras ou outras da mesma linha. Perdoem-me pela falta de lançamentos nacionais esta semana, encontrei diversos deles, mas nenhum com uma data de lançamento entre 2 e 9 de Outubro.Sem mais delongas, vamos aos livros:

Shadows of the apt, livro 7:Heirs of the blade (Adrian Tchaikovsky)

Heirs of the blade

Isso mesmo, livro 7. Shadows of the apt é uma série de fantasia britânica que, acreditem é o melhor resumo que posso fazer, é um misto de fantasia épica grega com ficção científica da segunda guerra  mundial e deuses insetos. E fica mais bizarro ainda. Comprei o primeiro livro a pouco tempo, então não sei ao certo o quão boa é a trama, mas vale uma conferida.

Down these strange streetsDown these strange streets

Down these strange streets é uma coletânea de contos de fantasia contemporânea. Só isso. Também foi compilada por George R. R. Martin (as cronicas de gelo e fogo) e Gardner Dozois (cujos livros de sci-fi são absurdamente premiados), mas isso é um detalhe, certo?

Neverwinter saga, livro 2: Neverwinter (R. A. Salvatore)

Neverwinter

Está escrito Dungeons & Dragons no topo da capa e R. A. Salvatore é “famoso” por suas obras de Forgotten Realms. Conclusão: temos mais um capítulo da saga do Drow Drizzt Do`Urden, cujo primeiro livro é de 1990. Não li nada sobre Drizzt, mas vejo-o como um personagem recorrente em fóruns por aí, mais ou menos como o Elric. Talvez seja melhor buscar uma obra mais antiga antes de ler essa, que promete dar um clima de dúvida moral à jornada do elfo negro.

Frail (Joan Frances Turner)

 Frail

E quando achávamos que tudo sobre zumbis já fora feito, chega Frail. Não me parece grandioso ou inovador mas tem um conceito novo interessante: uma segunda praga que atinge tanto humanos quanto zumbis no mundo pós apocalíptico e causa um segundo apocalipse com a criação de duas raças novas. Fãs de zumbis, se ainda aguentam livros desse tipo, busquem essa obra, garanto que encontrarão milhares de livros com pequenas inovações desse tipo por perto, mas poucas tão substanciais quanto esta.

Trilogia Acacia, livro 3: The Sacred Band (David Anthony Durham)

The sacred band

A conclusão da Trilogia Acacia aparenta trazer todo o epicismo possível sem que se torne Malazan Book of the Fallen. A crítica falou extremamente bem do livro e muitos dizem que se assemelha às Cronicas de Gelo e Fogo no esquema de narrativa e personagens. Tem “só” 570 páginas e faz parte de uma trilogia fechada, nada de sete ou oito livros.

Dica da semana:

Para concluir meu relatório de sábado, trago a vocês uma dica de site. Depois dessa lista pensei seriamente em sugerir um site americano onde haja variedade e preços acessíveis, mas optei por deixar isso para semana que vem. Para me redimir da falta de notícias nacionais, trago um glorioso link para o site da editora Jambo. Muitos já devem conhecer, mas a Jambo merece nossa admiração pela qualidade de seus produtos. Que Jambo? Ora, a responsável por termos obras do Sr. Caldela e os livros do RPG Tormenta nas estantes de livrarias por aí.  Fãs de RPG que não conhecem Tormenta: cliquem no link e absorvam o máximo possível de informação sobre este cenário incrível e os romances que orbitam os seus muitos complementos.

http://www.jamboeditora.com.br/



Categorias: Notícias Subterrâneas
Tags: , , , ,

Lorde Worth

Caçador de Hobbies exóticos, leitor obsessivo e jogador compulsivo.

3 Comentários sobre Notícias subterrâneas: semana 1

  1. Melissa

    Poxa, adorei essa coluna! Achei super válido! Muitas vezes ficamos naquele círculo de ler sempre os mesmos livros e isso vem mesmo a calhar! Parabéns pela iniciativa!

    Quanto a essa de literatura nacional, estou com um projeto no blog para divulgar novos autores. Se conhecer um, por favor indique o blog pro escritor que as informações específicas de divulgação estão lá.

  2. Gustavo Domingues

    Hãããã, cheguei atrasado para comentar (desculpe, mas a OAB sugou minha vida),então… como colunista de RPG eu tenho que falar: NÃO cliquem no link pelo Tormenta peloamordedeus, é um cenário cheio das besteiras do trio Tormenta(Cassaro/Trevisan/Saladino). Adoro a Jambô porque ela é a única editora com títulos descentes alem da Devir (Tenho Mutantes e Malfeitores, Reinos de Ferro e Dragon Age deles), mas acho que Tormenta é um delírio maligno para os jogadores de RPG nacionais, colecionei os livros de Tormenta quando estava no colégio (tenho o Reinado Vol 1,2 e 3 e outras tranqueiras, além de um monte de edições da revista, alem das Holy Avengers) e me arrependo profundamente de ter comprado tudo isso hoje em dia. Quem procura um bom produto nacional veja Tagmar, é de graça e se acha fácil na internet. Mas me diga Worth, os livros do Caldela são bons? Porquê eu tenho vergonha de tocar em algo relativo à Tormenta hoje em dia.

    • Lorde Worth

      Francamente? Estou terminando a trilogia da tormenta. São livros bons, o clima de fantasia épica é bem forte, o “epicismo destruidor de mundos” está bem balanceado. Gosto da escrita do Caldela, a narrativa não é muito pesada, ou seja, os fatos são atirados na sua cara em uma velocidade aceitável e não há grandes tentativas de agredir o leitor. Não terminei O Caçador de Apóstolos, mas também é um livro bem decente. Quanto ao RPG, primeiro uma confissão: coleciono livros de cenários diversos, mas acabo apenas aplicando as regras de D&D 3.5 em cenários criados pelo meu próprio grupo ao invés de aproveitar as regras e ambientes mais diversos. Tormenta é um RPG do qual gosto muito, principalmente pelo seu clima mais lighthearted e simples. Mesmo para quem não gosta de Tormenta sugiro que conheçam a Jambô, pelos livros que você citou e pela Dragon Slayer, que tem matérias bem legais para complementar (ou em alguns casos destruir) um jogo, inclusive foi meu meio para ensinar RPG aos meus amigos.

Adicione um comentário